Bolsa de Valores passa por ‘teste de resistência’ no primeiro semestre

Pontos-chave
  • Apesar dos resultados registrados no primeiro semestre, 2022 não é um dos melhores para a B3
  • Mais importante índice da bolsa brasileira já tem uma queda acumulada de 5,99% no primeiro semestre

Mesmo que no primeiro trimestre do ano a B3, Bolsa de Valores Brasileira tenha deixado as concorrentes internacionais comendo poeira, com o Ibovespa entregando uma alta de 14,48% até o mês de março, este ano não é um dos melhores até o momento. 

publicidade

Com a queda de cerca de 10% apenas em abril, acompanhada de uma pequena recuperação no mês seguinte, passando por uma nova queda recorde de 11,5% registrada em junho, o mais importante índice da bolsa brasileira já tem uma queda acumulada de 5,99% no primeiro semestre. Saiba os setores que se destacaram e os que decepcionaram nos primeiros seis meses do ano.

Do total de 91 ações que integram o Ibovespa, cerca de um terço estão positivas no primeiro semestre. Até o último mês, 33 companhias tinham alta acumulada. Dessas, oito cresceram mais de 20% em neste ano; oito subiam entre 10% e 20% e 17 subiam até 10%.

O maior destaque dentre as ações que acumulam alta foi o setor de energia, com 10 representantes: as ações Eletrobras (ações preferenciais classe B e ações ordinárias); CPFL Energia, Copel, Taesa, Cemig, Engie, Eneva, Energias do Brasil e Equatorial. Das citadas, seis cresceram mais de 10%.

publicidade

Na sequência, apareceram os setores financeiro e de commodities, marcando presença com seis representantes cada um. Do universo financeiro, aparecem os papéis da credenciadora de pagamentos Cielo, da seguradora BB Seguridade, do Banco do Brasil, do Itaú Unibanco, do BTG Pactual e por fim da B3. Entre elas, três tiveram um crescimento de mais de 20% e as outras três subiram até 10%.

Já falando das commodities, ficaram  as ações preferenciais e ordinárias da Petrobras, da SLC Agrícola, da PetroRio, da 3R Petroleum e da Vale. Entre as citadas, três se destacaram com um aumento entre 10% e 20% e outras três subiram até 10%.

Ações em alta no primeiro semestre

Ação Variação no ano (%) Setor
CIELO ON 65,13 Financeiro
ELETROBRAS PNB 46,83 Energia
ELETROBRAS ON 40,20 Energia
HYPERA ON 35,62 Farmacêutico
BB SEGURIDADE ON 29,45 Financeiro
MINERVA ON 28,18 Frigorífico
CPFL ENERGIA ON 25,90 Energia
BRASIL ON 21,07 Financeiro
PETROBRAS PN 19,10 Commodity
PETROBRAS ON 18,62 Commodity
MULTIPLAN ON 18,20 Saúde
COPEL PNB 15,46 Energia
SLC AGRICOLA ON 12,98 Commodity
TAESA UNIT 11,91 Energia
ENGIE BRASIL ON 10,95 Energia
ASSAÍ ON 10,54 Consumo
CARREFOUR BR ON 9,79 Consumo
CEMIG PN 9,40 Energia
CCR ON 8,19 Concessão Rodoviária
ITAÚ UNIBANCO PN 8,48 Financeiro
JHSF PARTICIPAÇÕES ON 7,43 Shopping center
ENERGIAS DO BRASIL ON 7,06 Energia
BTGP BANCO UNT 6,52 Financeiro
SABESP ON 5,86 Saneamento
BRADESPAR PN 6,58 Holding
PETRO RIO ON 6,00 Commodity
3R PETROLEUM ON 3,73 Commodity
ENEVA ON 3,67 Energia
EQUATORIAL ON 3,20 Energia
LOCAMERICA ON 2,10 Locação de veículos
VALE ON 1,83 Commodity
IGUATEMI S.A UNT 0,75 Shopping center
B3 ON 0,65 Financeiro

Porém, o setor das commodities também fez parte das ações que passaram por queda neste início de ano. Das 58 ações que ficaram no vermelho, 11 são do segmento de commodities: Ultrapar, Metalúrgica Gerdau, Gerdau, Cosan, Suzano, Klabin, Vibra, Braskem, Siderúrgica Nacional, CSN Mineração e Usiminas. Nesse caso, todas tiveram  quedas superiores a mais de 10% no ano.

As empresas de commodities ficaram na liderança das quedas juntamente com as companhias de consumo, que também marcaram presença com 11 representantes: Grupo Soma, Raia Drogasil, Lojas Renner, Pão de Açúcar, Grupo Natura, Alpargatas, Americanas, Via (ex-Via Varejo), Magazine Luiza, Ambev e Petz. Por aqui, somente as ações da Lojas Renner passaram por perdas menores que  10% no ano.

Ações com queda no ano

Ação Variação no primeiro semestre (%) Setor
MAGAZINE LUIZA ON -67,73 Consumo
MÉLIUZ ON -66,36 Financeiro
VIA ON -63,43 Consumo
LOCAWEB ON -57,37 Tecnologia
AMERICANAS ON -56,59 Consumo
EMBRAER ON -54,07 Aérea
IRB BRASIL RESSEGUROS ON -49,50 Financeiro
AZUL PN -49,30 Aérea
ALPARGATAS PN -48,29 Consumo
CVC BRASIL ON -47,91 Viagem
POSITIVO INF ON -47,63 Tecnologia
HAPVIDA ON -47,50 Saúde
GRUPO NATURA ON -46,94 Consumo
GOL PN -46,80 Aérea
MARFRIG ON -43,47 Frigorífico
BANCO PAN PN -42,61 Financeiro
USIMINAS PNA -40,00 Commodity
BRF ON -39,92 Frigorífico
PETZ ON -39,33 Consumo
CSN MINERAÇÃO ON -37,18 Commodity
YDUQS PARTICIPAÇÕES ON -36,34 Educação
SID NACIONAL ON -35,72 Commodity
REDE D’OR ON -35,49 Saúde
DEXCO ON -34,49 Construção
MRV ON -33,38 Construção
BRASKEM PNA -32,99 Commodity
QUALICORP ON -32,75 Saúde
GRUPO SOMA ON -27,42 Consumo
EZTEC ON -27,34 Construção
P.ACUCAR – CBD ON -23,97 Consumo
ECORODOVIAS ON -22,27 Concessão rodoviária
CYRELA REALT ON -22,22 Construção
VIBRA ON -22,10 Commodity
RAIA DROGASIL ON -21,12 Consumo
SUL AMERICA UNT -20,04 Financeiro
KLABIN UNT -19,36 Commodity
TOTVS ON -19,34 Tecnologia
WEG ON -19,33 Equipamentos
GERDAU PN -16,07 Commodity
SUZANO PAPEL ON -15,60 Commodity
JBS ON -14,64 Frigorífico
COSAN ON -14,50 Commodity
METALÚRGICA GERDAU PN -14,22 Commodity
COGNA ON -13,41 Educação
AMBEV ON -13,36 Consumo
ULTRAPAR ON -12,27 Commodity
RUMO ON -10,43 Logística
BR MALLS PART ON -8,99 Shopping center
LOJAS RENNER ON -6,87 Consumo
FLEURY ON -5,60 Farmacêutico
ENERGISA UNIT -4,84 Energia
ITAÚSA PN -4,69 Holding
TELEFÔNICA BRASIL ON -2,13 Telefonia
TIM ON -1,90 Telefonia
BRADESCO ON -1,09 Financeiro
LOCALIZA ON -0,84 Locação de automóveis
BRADESCO PN -0,39 Financeiro
SANTANDER BR UNIT -0,23 Financeiro

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.