Eleições 2022: Empresários doam mais de R$ 2 milhões para campanha de Lula

No próximo domingo (26), o ex-presidente Lula participará de um jantar com empresários, advogados e profissionais autônomos que, juntos, doaram mais de R$ 2 milhões para a pré-campanha do petista. O vice da chapa, o ex-governador e ex-tucano Geraldo Alckmin, também deve comparecer.

publicidade

O evento é mais uma tentativa de Lula de se aproximar com o empresariado, além de uma forma de agradecer pelas doações realizadas, que variaram entre R$ 3 mil e R$ 20 mil. A maioria doou valores mais altos, conforme apurou a coluna de Mônica Bergamo, na Folha de S. Paulo. Eles doaram como pessoas físicas, já que doações como pessoa jurídica não são mais permitidas.

Não foram revelados os nomes dos convidados, mas o jornal Estadão apurou, ainda no início de junho, que empresários próximos do ex-presidente, como José Seripieri Filho, fundador da Qualicorp, e Walfrido Mares Guia, ministro nos dois mandatos de Lula e fundador do grupo Kroton, devem comparecer.

Até agora, Lula tem “fugido” de eventos mais abertos com empresários e optado por encontros mais reservados. O motivo seria o temor de ser confrontado em questões mais delicadas, como revogação do teto de gastos e da reforma trabalhista, que ainda precisavam ser discutidas com aliados da campanha.

publicidade

Um exemplo dessa estratégia é que Lula recusou participar de um evento aberto organizado pela XP Investimentos em maio, tendo enviado como seu “representante” o ex-ministro da Saúde José Padilha. Em abril, no entanto, o petista teve um encontro reservado com o dono da XP, Guilherme Benchimol.

Advogados de opositores

Também devem comparecer ao jantar de domingo advogados que participaram do chamado “Jantar pela Democracia”, realizado em dezembro. Com cerca de 500 convidados, o evento foi a primeira ocasião em que Lula e Alckmin se reuniram pessoalmente após o início das negociações para uma aliança na chapa presidencial.

Entre os advogados convidados, há alguns que já atuaram por opositores políticos na Operação Lava Jato e em outros processos, como Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, que defendeu o ex-presidente Michel Temer (MDB), e Alberto Toron, que já atuou pelo deputado federal Aécio Neves (PSDB).

Fundo eleitoral “insuficiente”

Os organizadores do evento são o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, o tesoureiro da campanha, deputado federal Márcio Macedo (PT-SE), e o advogado Vicente Cândido.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

Cândido é um dos que tem tentado convencer o PT e Lula de que o fundo eleitoral de R$ 500 milhões reservado ao partido é insuficiente para cobrir os custos da campanha, sendo necessário arrecadar doações. As contribuições, no entanto, só poderão ser feitas diretamente à campanha a partir de agosto, e, por esse motivo, elas estão sendo direcionadas ao PT.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Amaury Nogueira
Amaury da Silva Nogueira é bacharelando em Letras/Edição pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Apaixonado pelo universo da escrita, atua há dois anos como redator e realiza pesquisas sobre história da edição no Brasil. Além disso, atualmente pesquisa também sobre direitos e benefícios sociais para agregar conhecimento na redação do portal de notícias FDR.