Preço dos alimentos vai ficar ainda mais caro por conta deste motivo

Para chegar ao consumidor, variados tipos de mercadoria dependem de transporte rodoviário no país. Diante disso, aumentar o valor dos combustíveis pode agravar a inflação local. Em meio a este cenário, o preço dos alimentos deve ser impactado primeiro.

Preço dos alimentos vai ficar ainda mais caro por conta deste motivo
Preço dos alimentos vai ficar ainda mais caro por conta deste motivo (Imagem: Montagem/FDR)

A Associação Brasileira de Operadores Logísticos (Abol), que abrange grandes companhias do setor, criticou o nomo aumento nos preços do diesel promovido pela Petrobras. A entidade alega que o reajuste aconteceu “de forma abrupta e em cenário econômico completamente adverso”. Essa elevação no diesel pode afetar variados setores. Exemplo disso é o segmento de alimentos.

A Abol afirma que seguidos aumentos de preços vêm desiquilibrando a saúde financeira das empresas do segmento. Para estas, o diesel chega a representar aproximadamente 40% dos custos operacionais.

Desde o último ano, as empresas do segmento têm sido afetadas pela forte inflação do diesel. Diante disso, elas vêm procurando repassar os valores aos clientes finais.

“Diferentemente da Petrobras, que é detentora de um monopólio, as empresas de logística não conseguem repassar os aumentos de preço imediatamente, o que pode levar um ou dois meses para acontecer, e a negociação muitas vezes não ocorre na totalidade do aumento”, alega a Abol.

“Com isso, tem-se um efeito cascata de repasses de custos até o consumidor final, que agravará, inevitavelmente, o atual quadro inflacionário do país”, complementa.

Preço dos alimentos deve ficar mais caro após aumento dos combustíveis

Segundo economistas consultados pelo InfoMoney, quando a Petrobras aumenta o valor dos combustíveis, a proposta do governo de reduzir o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) também perde força.

O professor de Finanças Corporativas do Ibmec-SP, Paulo Azevedo, destaca que a redução do imposto segue contando para a diminuição do valor nos postos. No entanto, ele declara que o problema é que não existe garantia de que o valor do petróleo, no mercado internacional, se manterá como está.

Com o combustível mais caro, a primeira inflação a aumentar é a da cesta básica. Isso porque diversos alimentos que chegam aos centros de distribuição — especialmente de hortifrutigranjeiro — são produzidos por pequenos e médios produtores e transportados por operadores logísticos de similar porte.

Azevedo explica que uma parcela da inflação de transporte é “jogada para frente”. Apesar disso, com relação aos alimentos, isso acontece “de uma a duas semanas”.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.