Como ficam os investimentos na Poupança com a nova Selic?

De forma unânime, o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central aumentou a taxa Selic de 12,75% para 13,25% ao ano. Essa decisão afeta diretamente o rendimento de aplicações de renda fixa. Por conta disso, muitos se perguntam como ficam os investimentos na poupança com a nova Selic.

Como ficam os investimentos na Poupança com a nova Selic?
Como ficam os investimentos na Poupança com a nova Selic? (Imagem: Montagem/FDR)

A taxa Selic está no maior nível desde dezembro de 2016, quando estava em 13,75% ao ano. Este foi o décimo primeiro aumento seguido na taxa básica de juros da economia.

A alta da taxa de juros aumenta o rendimento de investimentos de renda fixa, principalmente os atrelados à Selic ou CDI (que segue de perto a Selic).

Exemplos de aplicações afetadas pelo reajuste são os CDBs (Certificados de Depósito Bancário) e títulos do Tesouro Direto ligados à taxa básica de juros (Tesouro Selic).

Como ficam os investimentos na poupança com a nova Selic?

O aumento da taxa Selic também impacta a caderneta de poupança, mas em menor intensidade. Isso porque, depois que a Selic fica acima de 8,5% ao ano, a rentabilidade desse investimento deixa de aumentar linearmente. Ou seja, o ganho fica congelado neste caso.

Quando a Selic está supera os 8,5% ao ano, o retorno da poupança se limita a 0,5% ao mês, ou 6,17% ao ano, mais a variação da TR (Taxa Referencial).
Já quando a taxa de juros está igual ou menor que 8,5%, o rendimento fica em 70% da Selic mais a TR.

Ao investir R$ 1 mil na poupança durante um ano, a pessoa terá R$ 1.069,11 após esse período (considerando a Taxa Referencial prevista no período, de 0,70% a ano).

De acordo com simulação realizada pelo educador financeiro do C6 Bank, Liao Yu Chieh, estes são os rendimentos de R$ 1 mil, depois de um ano, para algumas aplicações de renda fixa:

  • Poupança: R$ 1.069,11
  • Tesouro Selic: R$ 1.114,51
  • CDB que rende 100% do CDI: R$ 1.114,51
  • CDB que rende 103% do CDI: R$ 1.118,18

Cabe ressaltar que os títulos de renda fixa passam por tributação do Imposto de Renda pela tabela progressiva. Em caso de resgates entre 361 dias e 720 dias, há alíquota de 17,50% sobre o rendimento. Esse percentual foi utilizado na simulação acima.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.