Ações da Eletrobrás têm queda após a privatização afetando o mercado nacional

Na última quinta-feira (9), a Eletrobras fixou o preço unitário de suas ações ordinárias. Essas ficaram no valor de R$ 42,00,  sendo que a estimativa era superior a R$ 43,00.

Ações da Eletrobrás têm queda após a privatização afetando o mercado nacional
Ações da Eletrobrás têm queda após a privatização afetando o mercado nacional (Imagem: Montagem/FDR)

Porém, desde então, os papéis da antiga estatal tiveram queda de 4,88%, no caso das ordinárias, e de 6,75%, nas preferenciais em apenas duas sessões de negociação da Bolsa de Valores brasileira (B3).

No dia seguinte, as ações continuaram em queda com 4,74%. Ontem (13), as ações emitidas na oferta pública passaram a ser negociadas. Mesmo assim, os papéis da Eletrobrás continuaram a ter um resultado negativo, com tombo de 2,20%.

No fim da sessão de segunda (13), as ações ordinárias (ON, com direito a voto em assembleia de acionistas) fecharam em  R$ 39,38, com uma queda de 0,81%. Já os papéis preferenciais (PN, sem direito a voto em assembleia de acionistas), recuaram 0,32% ficando em R$ 39,38.

Essa queda é correspondente ao ao ajuste do mercado ao valor inicial da oferta, já que as ações tinham sido cotadas em R$ 43,04. A liquidação da operação está prevista para acontecer nesta terça-feira (14). 

Meu FGTS na Eletrobrás

Os trabalhadores puderam investir até 50% do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) na Eletrobrás. O investimento foi de 90% em ações ordinárias e os outros 10% em títulos públicos federais de renda fixa.

Nesta terça-feira (14), deve acontecer a liquidação da operação. Assim, a quantia do FGTS investida na antiga estatal será creditada aos investidores.Dessa maneira, deve aparecer na conta do banco ou da corretora.

(10) FGTS: Como usar o fundo para comprar um imóvel? (Regras, Documentos e Processos) – YouTube

Privatização da Eletrobrás 

A Eletrobrás é a maior companhia de energia elétrica da América Latina e a principal empresa do setor elétrico brasileiro. Na sua privatização, o governo deixou de ser acionista majoritário e passou a ter uma participação de 45%. Porém, continua com o poder de veto nas deliberações sobre o estatuto social.

A estimativa do governo é que a privatização da Eletrobrás deve ter um movimento financeiro de R$ 67 bilhões ao longo dos próximos anos. Essa quantia será dividida para os cofres governamentais (R$ 25,3 bilhões) e Conta de Desenvolvimento Energético (R$ 32 bilhões).

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.