Governo aprova a redução de imposto nos alimentos; veja o que fica mais barato

Com o país em crise econômica, Governo Federal anuncia medida para baratear os alimentos. Nessa semana, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) informou que estará retirando o imposto de importação de 11 produtos que compõem a cesta básica da população. Veja a lista, abaixo.

Nessa semana, o IBGE liberou um relatório onde aponta que alimentos como a cenoura e o tomate estão 100% mais caros em comparação com 2021. Isso implica dizer que a inflação vem afetando diretamente o bolso de quem sobrevive com apenas um salário mínimo ou menos. Pela primeira vez, o Governo Federal informou que estará reduzindo os impostos.

Como funcionará a redução tributária?

De acordo com uma decisão tomada na Câmara de Comércio Exterior (Camex), 11 produtos que fazem parte da cesta básica e também da construção civil terão os impostos de importação suspensos.

A decisão será válida até o dia 31 de dezembro deste ano. O secretário-executivo do Ministério da Economia, Marcelo Guaranys, alegou que com isso espera-se de alguma forma conter a inflação que nesse momento tem uma alta de 12,13%.

Essas medidas não revertem inflação, mas empresários pensam duas vezes antes de aumentar os preços dos produtos“, diz.

Quais são os produtos com cortes no imposto?

A partir da decisão de corte dos impostos, o Governo irá baratear os seguintes itens:

  • Carnes desossadas de boi congeladas: de 10,8% para zero
  • Pedaços de frango: de 9% para zero
  • Farinha de trigo: de 10,8% para zero
  • Trigo: de 9% para zero
  • Bolachas e biscoitos: de 16,2% para zero
  • Outros itens de padaria e pastelaria: de 16,2% para zero
  • Produtos do aço, vergalhão CA 50 e CA 60: de 10,8% para 4%
  • Ácido sulfúrico: de 3,6% para zero
  • Mancoseb (fungicida): de 12,6% para 4%
  • Milho em grãos: de 7,2% para zero

Atualmente quais são os alimentos com o maior reajuste?

  • Batata-inglesa — 18.28%
  • Morango —  17.66%
  • Maracujá —  15.99%
  • Couve-flor — 13.25%
  • Açaí (emulsão) — 11.73%
  • Leite longa vida — 10.31%
  • Tomate — 10.18%
  • Passagem aérea — 9.48%
  • Abobrinha — 9.31%
  • Táxi — 9.16%
  • Etanol — 8.44%
  • Óleo de soja — 8.24%
  • Hormonal — 7.96%
  • Flores naturais — 7.76%
  • Farinha de trigo — 7.34%
  • Melão — 7.32%
  • Feijão carioca (rajado) — 7.1%
  • Hipotensor e hipocolesterolêmico — 6.81%
  • Anti-inflamatório e antirreumático — 6.79%
  • Oftalmológico — 6.75%
  • Antialérgico e broncodilatador — 6.66%
  • Gastroprotetor — 6.63%
  • Antidiabético — 6.34%
  • Óleos e gorduras — 6.17%
  • Anti-infeccioso e antibiótico — 6.15%

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.