Estes são os melhores investimentos para você fazer com a alta da Selic

Pontos-chave
  • O aumento da Selic afeta diretamente a área de investimentos;
  • Os investimentos em renda fixa se tornam mais atrativos;
  • A rentabilidade da poupança segue abaixo de outras opções.

Nesta quarta-feira (4), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu aumentar a taxa Selic para 12,75% ao ano. A nova taxa de juros impacta no rendimento das principais aplicações de renda fixa. Descubra quais são os melhores investimentos para você fazer com a alta da Selic.

Estes são os melhores investimentos para você fazer com a alta da Selic
Estes são os melhores investimentos para você fazer com a alta da Selic (Imagem: Montagem/FDR)

A decisão de aumentar a taxa básica de juros foi tomada de modo unânime. Esta foi a décima elevação seguida da Selic. A taxa de juros atual chegou ao maior nível em mais de cinco anos.

A decisão recente já era prevista pelo mercado. Em março, quando ocorreu a última reunião, o Copom tinha sinalizado que aumentaria a taxa de juros em 1 ponto percentual, de 11,75% ao ano para 12,75% ao ano.

Esse reajuste torna os investimentos em renda fixa mais atrativa. Os juros maiores sobem a rentabilidade proporcionada por títulos de renda fixa privados e públicos — como CDBs (Certificado de Depósito Bancário) e Tesouro Direto.

Entre as modalidades com maior previsão de retorno, estão as debêntures incentivadas. Estes são títulos emitidos por companhias para o financiamento de suas operações e projetos. Outras modalidades que se destacam são Letras de Crédito Imobiliário (LCI) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCA).

Apesar deste cenário favorável para a renda fixa, o rendimento da poupança não se altera. A aplicação mais tradicional do país continua com retorno de 6,17% ao ano + TR (Taxa Referencial).

Simulações de rentabilidade de investimentos em renda fixa após alta da Selic

De acordo com simulações do buscador de investimentos Yubb, ao g1, com a atual Selic, o retorno líquido de diversas aplicações seguirá muito acima do proporcionado pela poupança.

Para o período de 12 meses, estas são as estimativas de rendimento bruto:

  • Caderneta de poupança*: 6,17%
  • Tesouro Selic: 12,65%
  • CDB banco médio: 14,55%
  • CDB banco grande: 9,49%
  • LC: 15,18%
  • LCA*: 12,40%
  • LCI*: 12,78%
  • RDB: 14,67%
  • Debênture incentivada*: 14,42%

* Estes investimentos possuem isenção de Imposto de Renda. O cálculo usado para a poupança não considera a variação da TR.

ao descontar o IR, este é o rendimento para o período de 12 meses:

  • Caderneta de poupança*: 6,17%
  • Tesouro Selic: 10,12%
  • CDB banco médio: 11,64%
  • CDB banco grande: 7,59%
  • LC: 12,14%
  • LCA*: 12,40%
  • LCI*: 12,78%
  • RDB: 11,74%
  • Debênture incentivada*: 14,42%
A renda variável se torna menos atrativa com o aumento da taxa Selic
A renda variável se torna menos atrativa com o aumento da taxa Selic (Imagem: Montagem/FDR)

Melhores investimentos para você fazer com a alta da Selic

Diante do panorama atual, a renda fixa tende a continuar mais atrativa do que a renda variável. Isso porque oferece variadas opções de menor risco — com rentabilidade atrelada à taxa Selic.

Ao g1, o assessor da 3A Investimentos, Samuel Sampaio Chagas, afirma que a próprio CDI dará retorno de 1% ao mês. Apesar disso, ele destaca que existem diversos CDBs de bancos a 120% e CDI, alguns pré-fixados entre 13% e 14% ao ano que pagam acima de 1% ao mês.

O especialista ainda reforça que há fundos imobiliários de papel — aqueles de CRI, dívida imobiliária —, com prêmio de dívida bastante alto.

De qualquer forma, no momento de aplicar, o interessado deve analisar os objetivos de investimento, a disposição de assumir mais ou menos risco, e também o possível resgate no curto prazo.

Já no caso de quem possui foco no longo prazo, a previsão de encerramento do ciclo de aumento da Selic pode representar uma oportunidade de compra de títulos de longos prazos — abrangendo também os pré-fixados.

O professor de Finanças do Coppead/UFRJ, Carlos Heitor Campani, informa ao g1 que, ao adquirir esses títulos e manter até a data de vencimento, a pessoa garantirá uma alta taxa de juros. Em meio à elevação da Selic, os títulos pré-fixados também deverão conceder uma taxa maior.

As aplicações na Bolsa de Valores devem continuar pressionados. Apesar disso, os analistas afirmam que, para o investidor focado no longo prazo, vale se atentar às oportunidades do mercado.

Sobre os fundos de investimento, a grande vantagem é a contratação de uma gestão profissional de uma diversificada carteira de ativos. Contudo, o interessado precisa observar as taxas cobradas.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.