Netflix mais barato? Confira novos planos que serão lançados pelo streaming

Nos próximos meses, a Netflix deve aumentar o número de planos de assinatura para usuários. A declaração foi realizada pelo presidente da empresa, Reed Hastings, nesta terça-feira (19), em conferência com investidores.

De acordo com o executivo, o novo modelo será mais barato, mas com anúncios pagos. Isso deve acontecer de forma parecida com os canais de televisão tradicionais.

O presidente da Netflix destacou ser “contra a complexidade da publicidade”. Ele diz ser “um grande fã da simplicidade das assinaturas”. No entanto, o executivo alega ser “mais fã ainda da escolha do consumidor”.

Diante disso, Hastings entende fazer sentido possibilitar que os clientes decidam um plano mais barato financeiramente — caso eles sejam tolerantes a anúncios.

Lançamento dos novos planos de assinatura da Netflix

A Netflix informa que, em um ou dois anos, os novos planos devem ser apresentados ao mercado. A plataforma reforça que será a responsável pela divulgação dos anúncios. A companhia ainda declara que não utilizará serviços de terceiros, que podem afetar a privacidade dos usuários.

Mesmo com o futuro lançamento desse modelo, as atuais assinaturas não devem ser impactadas. O presidente da Netflix afirma que, caso os clientes não queiram ver publicidade, ainda poderão contratar os planos livres de anúncios.

Hoje, o plano mais barato da Netflix é de R$ 25,90 por mês. O plano intermediário tem o valor de R$ 39,90. Já o plano com qualidade de vídeo superior, o premium, custa R$ 55,90.

Anúncio de novos plano ocorre após Netflix comunicar perda de assinantes

Nesta terça-feira, em relatório divulgado para acionistas, a Netflix comunicou que perdeu 200 mil assinantes no primeiro trimestre deste ano.

No final de 2021, a empresa contava com 221,8 milhões de assinantes. Já nos três primeiros meses de 2022, o número caiu para 221,6 milhões. essa foi o primeiro registro de recuo no total de assinantes em dez anos. Apesar disso, a Netflix lidera no mercado global de streaming.

A companhia afirma que a diminuição de assinantes ocorreu por fatores diversos. O aumento da concorrência e o crescimento do número de uso compartilhado de contas do serviço foram alguns motivos.

A guerra na Ucrânia também prejudicou o resultado da Netflix. Ao deixar de operar na Rússia — em 6 de março —, a plataforma alega que perdeu aproximadamente 700 mil assinaturas.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.