Energia Elétrica: até quando a conta de luz terá a bandeira verde?

A bandeira de escassez hídrica incidente sobre a conta de luz foi retirada na última semana, antecipando a previsão de vigência até o início de maio. Agora, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), informou que a bandeira tarifária verde que começa a vigorar no dia 16 de abril, deve permanecer até o final do ano, barateando a cobrança pelo consumo de energia elétrica.

Energia Elétrica: até quando a conta de luz terá a bandeira verde?
Energia Elétrica: até quando a conta de luz terá a bandeira verde?
(Imagem: Montagem/FDR)

Desta forma, a cobrança feita através da conta de luz ocorrerá como de costume nos moldes básicos, logo, não deve haver a incidência de nenhuma tarifa extra. A expectativa foi apresentada pelo diretor-geral da ONS, Luiz Carlos Ciocchi, entidade responsável pela coordenação e controle das operações de geração e transmissão de energia elétrica perante o Sistema Interligado Nacional (SIN).

Bandeiras Tarifárias

O sistema de bandeiras foi criado em 2015, com o objetivo de manter o consumidor brasileiro ciente sobre o consumo de energia elétrica, bem como sobre a situação por todo o país. Cada uma das cores: verde, amarela e vermelha, indicam a gravidade e respectiva cobrança extra no valor final sinalizado ao consumidor. 

  • Bandeira verde: não há cobrança extra;
  • Bandeira amarela: sofre acréscimo de R$ 1,874;
  • Bandeira vermelha patamar 1: R$ 3,971;
  • Bandeira vermelha patamar 2: R$ 9,492;
  • Bandeira de emergência hídrica: R$ 14,20.

É este sistema que determina o real custo da energia elétrica. Desta forma, quando as condições de geração de energia não são favoráveis, é necessário acionar as usinas termelétricas, elevando os custos. Desta forma, ocorrem cobranças extras com o propósito de suprir a diferença e frear o consumo. 

Quando a bandeira verde está em vigor na conta de luz, não há nenhum acréscimo na cobrança feita ao final do mês. Em contrapartida, não é o que acontece quando surge a necessidade de acionar as demais bandeiras, pois então as devidas taxas são cobradas conforme disposto acima. 

O que diz o diretor da ONS?

O diretor da ONS aproveitou para confirmar que o volume de chuvas registrado no final do ano passado foi capaz de encher os reservatórios das usinas hidrelétricas em um patamar suficiente para que o país siga mais tranquilo quanto à distribuição de energia elétrica nos próximos meses. As regiões Sudeste e Centro-Oeste concluíram o período de chuvas com o melhor nível desde 2012.

Segundo ele, a geração térmica irá se limitar às usinas inflexíveis, que são aquelas incapazes de parar, tendo em vista que a capacidade delas gira em torno de quatro mil megawatts. Desta forma, nos momentos mais críticos da crise hídrica de 2021, as térmicas eram responsáveis por mais de 20 mil MW.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.