Guerra: novas sanções contra a Rússia afetam filhas de Putin; entenda

Nesta quarta, 6, os Estados Unidos anunciaram novas sanções à Rússia em decorrência da guerra na Ucrânia. Este novo pacote inclui ainda medidas contra as duas filhas de Vladimir Putin, Katerina e Maria. A alegação é que os familiares estão escondendo a fortuna do presidente da Rússia.

As duas filhas de Putin estão na casa dos 30 anos e dificilmente aparecem publicamente. Vladimir raramente fala sobre elas, e o Kremlin só as chama pelo primeiro nome.

De acordo com a Casa Branca, decorrência das sanções, elas estão proibidas de operar no sistema financeiro dos EUA e seus bens no país ficam bloqueados.

O país ainda declarou o congelamento de todos os ativos do banco público Sberbak e do Alfa Bank, o maior banco privado da Rússia em território americano. Foi dito ainda que todos os novos investimentos americanos na Rússia estão proibidos.

Estas medidas, segundo Washington, tem o objetivo de transformar a Rússia em um “pária” na economia global.

A proibição de novos investimentos será decretada através de uma ordem executiva que será assinada por Joe Biden, presidente dos EUA. Integram ainda a lista de punidos pelas sanções a mulher do chanceler da Rússia, Sergei Lavrov, o ex-premiê Dmitry Medvedev, assim como Mikhail Mishutsin, atual ocupante do cargo.

Parte dessas novas sanções já tinham sido comunicadas pela Casa Branca, como a decisão do Departamento do Tesouro de impedir que a Rússia efetuasse pagamentos de títulos de sua dívida soberana com dólares sob jurisdição americana, deixando o país próximo de declarar calote.

Segundo a casa Branca, as sanções, que foram coordenadas com o G7 e com a União Europeia (UE), são uma resposta às barbaridades que teriam sido cometidas por tropas russas na cidade ucraniana de Bucha, próxima de Kiev.

O governo dos EUA afirma que as sanções farão a Rússia perder seu status de grande economia e passará a enfrentar um grande isolamento econômico, financeiro e tecnológico.

“Especialistas preveem que o PIB da Rússia cairá até 15% neste ano, eliminando os últimos 15 anos de ganhos econômicos. A inflação já está acima de 15% e a previsão é que acelere ainda mais”, disse a Casa Branca a respeito dos reflexos das sanções.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.