Fundadores das Casas Bahias são denunciados por violência contra a mulher; ação pede R$ 100 mi

Saul e Samuel Klein, fundadores das Casas Bahia, responderão por denúncias de violência contra a mulher classificadas como abusos sexuais. Os casos foram registrados por organizações não governamentais como uma ação civil pública ainda em agosto de 2021. 

Na época foi solicitada uma indenização por danos morais e coletivos às mulheres brasileiras no valor de R$ 100 mil. Além dos Klein, pai e filho, o documento também direciona o pedido à Via Vareja S/A, grupo integrado pelas Casas Bahia. 

O documento que oficializa a denúncia de violência contra a mulher foi assinado pelo Centro Santos Dias de Direitos Humanos em parceria com a Sempreviva Organização Feminista (SOF). Vale lembrar que a primeira instituição foi uma das responsáveis pela ação civil pública registrada contra o Carrefour.

Na época o foco foi o assassinato de João Alberto Silveira Freitas, no estacionamento da unidade situada em Porto Alegre em novembro de 2020. Neste caso específico a indenização requerida e paga pela rede de supermercados foi de R$ 115 milhões. 

O ponto alto da ação iniciativa atual é marcado pelo fato de ser a primeira vez em que uma ação civil pública movida em território brasileiro está relacionada a violência contra a mulher, seja ela física ou psicológica. Na oportunidade, o presidente do Centro Santos Dias, Luciano Caparroz Pereira dos Santos, aproveitou para fazer a seguinte declaração:

“Normalmente, é o Ministério Público que acompanha os casos e tem a prerrogativa de pedir a indenização por dano moral coletivo. Como isso não aconteceu, decidimos agir para contemplar a sociedade como um todo, com um objetivo específico: que os recursos da indenização sejam usados em políticas de proteção às mulheres”, alegou Santos. 

O documento explica que a exigência de uma reparação financeira é justificada pelos crimes de aliciamento, estupro, exploração sexual e violência sexual contra centenas de mulheres. Samuel Klein faleceu em 2014, mas Saul é investigado atualmente apís 14 mulheres o denunciarem de estupro, cárcere privado, transmissão de doença venérea, entre tantos outros crimes. 

Os crimes de violência contra a mulher praticados pelo co-fundador das Casas Bahia vão além do imaginável. Por 15 anos ele manteve um esquema de exploração sexual, retratado no documentário “Saul Klein e o Império do Abuso”. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.