Melhores investimentos para você se beneficiar da alta inflação

Se você acha que basta investir tudo em renda fixa, você está enganado. Para conseguir excelentes retornos no curto prazo no qual a inflação está em alta ou quando a inflação começar a cair, é necessário diversificar sua carteira entre ativos de renda fixa e renda variável.

O retorno do CDI dos últimos 12 meses, perde da inflação do período, quem investiu apenas em renda fixa, perdeu poder de compra. A tendencia é que o CDI dos próximos 12 meses supere a inflação, mas como tendência não é realidade (não é à toa que a projeção do IPCA de 2022 já subiu mais de 1% desde janeiro) é muito arriscado investir 100% em renda fixa / ativos atrelados ao CDI.

O que fazer diante da incerteza sobre a inflação?

Nada como a “mãe dos investimentos”, a diversificação! Equilíbrio sempre é importante nos investimentos, por isso separamos os 4 melhores investimentos para você se beneficiar da inflação e proteger seu patrimônio:

Investimentos atrelados ao CDI, mas cuidado com títulos longos 

Hoje é possível conseguir ganhos de mais de 1% ao mês na renda fixa com o mesmo nível de segurança da poupança, que está rendendo bem pouco (0,50% ao mês). Basta investir em títulos que rendem mais de 100% do CDI, por exemplo, CDB, LCI e LCA. A segurança é a mesma da poupança, ou seja, cobertura do Fundo Garantidor de Créditos. Através destes investimentos, conseguimos rentabilidade maior do que na poupança sem aumentar riscos.

Considero segura e rentável esta classe de investimentos para seus projetos de curto e até médio prazo, acima disso, é bom tomar cuidado especialmente com estes três motivos:

1 – Em muitos momentos o CDI está rendendo abaixo da inflação, ou seja, o rendimento não acompanha a evolução dos preços do que consumimos no dia a dia.

2 – Os investimentos que oferecem rentabilidade muito acima de 100% do CDI possuem prazo, ou seja, o investidor não tem liquidez imediata. Para investir em algo que não temos a possibilidade de resgatar o dinheiro no “dia que quisermos”, é importante ter planejamento financeiro e uma reserva de emergência. Saiba mais abaixo:

https://fdr.com.br/2022/01/26/vida-alem-da-poupanca-conheca-o-caminho-para-investir-bem/

3 – Taxa Selic voltar a cair… Imagine que você tem a maior parte dos seus investimentos em CDB, LCI e LCA e a taxa Selic começa a cair, logo o rendimento dos seus investimentos irão cair também. Não diversificar ou investir em títulos atrelados ao CDI que possuem prazo longo, é bem arriscado.

Tesouro IPCA 

É um dos investimentos mais seguros, pois o rendimento é IPCA (a inflação oficial do país) + uma taxa fixa. Tipo de investimento ideal para projetos de longo prazo como aposentadoria ou compra de um bem de valor relevante.

Por exemplo, se você investir no Tesouro IPCA + 2035 hoje, o rendimento é IPCA + uma taxa fixa de 5,75%. Para ficar mais claro, se este ano a inflação ficar em 6,75% (percentual próximo da expectativa para o ano), seu investimento irá render 6,75% + os 5,75% (taxa fixa), totalizando 12,50%. Se no ano seguinte a inflação disparar para 10%, seu retorno será de 15,75%.

E se a inflação cair para 3%?

Considerando o exemplo acima, seu retorno irá cair para 8,75%, mesmo assim o retorno será positivo (5,75% acima da inflação), pois o que importa nos investimentos, é que nosso rendimento seja superior a inflação, o que chamamos de ganho real. Em 2021 como a inflação passou de 10%, quem investiu na poupança não conseguiu ganho real, ou seja, o dinheiro valorizou menos do que a inflação.

É um investimento para você respeitar o prazo e resgatar somente no vencimento, pois no curto prazo ele pode ter desvalorização, mas no vencimento você consegue 100% do retorno (IPCA + taxa fixa) corrigido ano a ano. Se você investir e sacar antes do prazo, pode perder dinheiro.

Fundo imobiliário de “papel” 

Quem investir atualmente em bons fundos imobiliários de papel (os FIIs de papel, aplicam o patrimônio dos seus cotistas em instrumentos financeiros do setor imobiliário, tais como CRIs e LCIs), irá conseguir rentabilidade / renda mensal acima de 1% ao mês, retorno líquido maior do que os CDBs, pois os fundos imobiliários são isentos de imposto de renda, diferente dos CDBs no qual não há isenção de IR.

Os FIIs de papel se destacam neste momento de inflação alta, pois investem em títulos com rendimentos indexados ao CDI ou ao IPCA, porém com retorno superior a estes indicadores.

Ações do setor de Energia Elétrica

Dois principais motivos: As empresas do setor elétrico conseguem repassar a alta de preços para o consumidor e a demanda por energia elétrica não cai por causa da inflação, podemos reduzir o consumo de energia, mas não consumir é impossível.

Um grande risco destas empresas esta atrelado as condições climáticas (falta de chuvas), em 2021 foi cogitado um racionamento de energia, mas como as chuvas voltaram, não tivemos racionamento, não à toa as ações do setor elétrico estavam em baixa, mas já se recuperam nos últimos meses.

As ações do setor elétrico são queridinhas pelos investidores, pois além da segurança do setor, são empresas que pagam bons dividendos (acima de 10% ao ano), sem contar o potencial de valorização das ações no médio prazo. Se o lucro da empresa subir, a ação vai subir no médio prazo.

Entenderam a importância do equilíbrio?

Não existe o melhor investimento, existem boas carteiras de investimentos e uma carteira de investimentos só é boa com diversificação.

Um forte abraço e bons investimentos!

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Cleiton Vicente
Formado em Administração de Empresas, pós-graduado em Finanças com especializações em Investimentos, Psicologia Econômica e Planejamento Financeiro. Founder da "Finanças.Vc" e atua como Consultor de Finanças Pessoais e Investimentos com mais de 15 anos de experiência no mercado financeiro. No FDR, possui sua própria coluna com dicas e orientações sobre como investir com segurança e de forma descomplicada.