Bolsa de Valores: XP seleciona ações para lucrar no cenário da alta da Selic

Na última quarta-feira (16), o Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central decidiu aumentar a taxa Selic de 10,75% para 11,75%. Apesar deste panorama favorecer a renda fixa, a XP ainda identifica ações para lucrar no cenário da alta da Selic.

Bolsa de Valores: XP seleciona ações para lucrar no cenário da alta da Selic
Bolsa de Valores: XP seleciona ações para lucrar no cenário da alta da Selic (Imagem: Montagem/FDR)

Em relatório, os analistas Fernando Ferreira, Jennie Li e Rebecca Nossig, “um dos maiores interesses de investidores para entrar em ações, além do ganho com a subida de seus preços, é a possibilidade de ganhar uma rentabilidade adicional na forma de dividendos”.

Para defender o argumento, a equipe da XP compara a variação de preço com o retorno total de papéis reconhecidos como bons pagadores de dividendos. Mesmo com a maior atratividade da renda fixa, os analistas observam boas oportunidades na Bolsa de Valores.

XP seleciona ações para lucrar no cenário de alta da Selic

Segundo os analistas da XP, as ações abaixo registraram um retorno total anualizado acima de 20% nos últimos cinco anos. O desempenho ficou significativamente acima da taxa DI acumulada ao longo deste mesmo período, em 5,75%.

  • BrasiAgro (AGRO3): taxa anualizada equivalente de 28,15%
  • Usiminas (USIM5): taxa anualizada equivalente de 25,01%
  • Petrobras (PETR4): taxa anualizada equivalente de 23,54%
  •  CTEEP (TRPL4): taxa anualizada equivalente de 20,57%

Diante disso, os analistas acreditam que as aplicações em Bolsa de Valores seguem proporcionando boas oportunidades no cenário atual. “Em particular, ações pagadoras de dividendos seguem sendo atrativas olhando para seus ganhos acumulados ao longo do tempo”, informa a XP.

Conforme análise, neste ano, as ações brasileiras vêm tendo uma das melhores performances no mundo. Isso devido a uma rotação de carteiras nas ações de crescimento para ações de valores, grande exposição à commodities e preço por lucro nas mínimas dos últimos dez anos.

Setores com mais resiliência

A XP também ressaltou os setores resilientes com o cenário de alta da Selic, além de commodities com valores pressionados para cima.

Os analistas entendem que os bancos são diretamente favorecidos com a taxa de juros maior. Isso por conta do spread bancário — a diferença entre o custo de capitação do banco e os juros cobrados aos clientes.

Com a Selic alta, as seguradoras também possuem mais ganhos financeiros. O motivo é que parte das receitas são decorrentes da aplicação de dinheiro envolvido com venda de seguros.

A casa ainda ressalta o setor de commodities, pois este permanece afetado pelo desiquilíbrio entre oferta e demanda. O cenário acontece após a diminuição das restrições impostas na pandemia de coronavírus.

“O aumento no preço de commodities eleva também as receitas das empresas ligadas a eles, o que pode elevar a distribuição de dividendos”, destacam os analistas da XP.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.