STF decide manter fundo eleitoral com orçamento de R$ 4,9 bilhões

Orçamento eleitoral é debatido em Brasília. Nessa semana, o plenário do Supremo Tribunal Federal (STF) se reuniu para determinar o valor a ser investido nas eleições de 2022. A previsão é de que seja concedido R$ 4,9 bilhões através do fundo sancionado pelo Congresso. O debate sobre o tema vem acontecendo desde 23 de fevereiro. Entenda.

STF decide manter fundo eleitoral com orçamento de R$ 4,9 bilhões (Imagem: FDR)
STF decide manter fundo eleitoral com orçamento de R$ 4,9 bilhões (Imagem: FDR)

A cada eleição é preciso que o STF determine o valor do fundo que será utilizado para o financiamento das campanhas políticas. Em 2022, os candidatos e seus partidos terão R$ 4,9 bilhões. A proposta foi sancionada pelos ministros Luís Roberto Barroso, Nunes Marques (relator), Alexandre de Moraes, Luiz Fux, Edson Fachin e Rosa Weber.

“Ora, o controle da alegada má alocação dos recursos se dará nas urnas, oportunidade em que o financiamento público das campanhas com certeza retornará ao debate político. Até por isso, entendo ser passo demasiadamente largo conferir ao Supremo uma tarefa de corrigir opções legislativa feitas pelos representantes do povo no que toca tão somente ao estabelecimento das prioridades orçamentárias para o ano de 2022. Entendo eu que não podemos assentar, ainda que num cenário de restrição orçamentária e mesmo de crise pandêmica, a melhor alocação para a receita pública, visto ser que essa tarefa é eminentemente da política”, disse Nunes Marques durante a sessão da quinta-feira da semana passada.

Eleições de 2022

Esse ano, a campanha definirá o novo presidente da república. Até o momento, os dois nomes mais cotados para o cargo são do atual chefe de estado, Jair Bolsonaro e do petista e também ex-líder Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com as últimas pesquisas anunciadas, Lula venceria ainda no primeiro turno. No entanto, espera-se novas mudanças no cenário político tendo em vista a candidatura de outros agentes nacionais como Ciro Gomes, João Doria, Sérgio Moro.

Veja abaixo o cenário de 1º turno:

  • Lula (PT): 40%
  • Jair Bolsonaro (PL): 32%
  • Ciro Gomes (PDT): 7%
  • Sergio Moro (Podemos): 6%
  • Eduardo Leite (PSDB): 3%
  • João Doria (PSDB): 2%
  • André Janones (Avante): 2%
  • Simone Tebet (MDB): 1%
  • Luiz Felipe D´Ávila (Novo): 0%
  • Brancos/nulos: 5% Não sabem: 3%.

Previsão do segundo turno

  • Lula (PT): 51%
  • Bolsonaro (PL): 37%
  • Brancos/nulos: 10%
  • Não sabe: 1%

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.