Dívidas: é possível quitá-las mesmo sem ter dinheiro sobrando?

A resposta é sim! Muita gente acha que a única coisa que é preciso para quitar dívidas é ter dinheiro sobrando, mas a verdade é que existem sim algumas ações que você pode tomar para começar a se livrar das dívidas ainda que você não esteja conseguindo fazer o dinheiro sobrar. Leia este artigo até o final para conferir essas ações.

Se você chegou ao ponto de se endividar é por que em algum momento o dinheiro estava faltando, certo? Dificilmente alguém que tinha um bastante dinheiro sobrando na conta iria fazer novas dívidas apenas por hobby. 

A solução para a sua vida financeira não é apenas ganhar mais dinheiro. Sim, de fato, aumentar a renda é um pilar muito importante para melhorar sua saúde financeira. Porém, se você não for capaz de gerenciar bem o dinheiro que vem às suas mãos, de nada vai adiantar. 

Você se recorda de quando você fez a sua primeira dívida e de quanto aproximadamente você ganhava naquela época? Sua renda aumentou depois disso e mesmo assim, você continua se enrolando com as dívidas?

Então é preciso começar a ter ações diferentes com relação a sua vida financeira para que seja possível conquistar resultados diferentes. 

A sua mente é o seu maior campo de batalhas

Sabia que as grandes invenções da história surgiram através da busca de meios possíveis para resolver problemas? Um dos aspectos que diferenciam os humanos de outros animais é a capacidade de lidar com situações de maneira criativa, criando meios e ferramentas para solucionar problemas.

É essa constante insatisfação com o que existe, e a busca pela inovação, que levou a muitos homens e mulheres a desenvolverem ferramentas, materiais e tecnologias tão bem sucedidas que mudaram completamente nossa forma de viver e ver o mundo.

Mas tais realizações só foram possíveis porque os inventores decidiram acreditar que os problemas diante dos quais eles se depararam eram possíveis de serem resolvidos. Acreditar que a sua situação financeira pode ser resolvida e que você é capaz de viver sem dívidas e em paz com o dinheiro é o passo mais fundamental de todos. 

Se você achar que o seu caso é impossível e não se dispuser a aprender novas estratégias, de fato, só lhe restará contar com a sorte de ganhar na loteria. E mesmo assim, também precisará contar com a sorte de saber administrar bem o seu prêmio, do contrário, em pouco tempo, estará endividado de novo. 

Diante dos problemas, você pode enxergar o copo meio cheio ou meio vazio. Eu te convido a buscar enxergar o copo meio cheio. Se foi possível para pelo menos alguém nesse mundo quitar todas as suas dívidas e conquistar seus sonhos financeiros com tranquilidade, isso significa que é possível também para você. 

Não permita que a sua mente sabote seus sonhos e a sua esperança. Se você já tentou de muitas formas e até hoje não conseguiu, pode ser que você tenha tentado de muitas formas erradas. Você precisa, apenas, aprender a estratégia certa.

Dívida não é tudo igual

Para cada tipo de dívida existe uma estratégia diferente de negociação. As dívidas podem ser bancárias ou não bancárias. Elas podem ter consequências mais graves em caso de falta de pagamento, como, por exemplo, execução de bens dados em garantia. Ou, podem ter consequências mais brandas, como a negativação do nome. 

As dívidas podem ter taxas mais altas e, geralmente, isso ocorre quando o risco de inadimplência é maior. Ou taxas mais baixas, quando o credor pode dispor de outros meios além do pagamento das parcelas para reaver o valor emprestado, como avais, fianças, imóveis, veículos, jóias, etc. 

Por isso, você precisa classificar todas as dívidas que você tem e priorizar a negociação e o pagamento daquelas que apresentam o maior risco para o seu patrimônio. Caso você tenha dúvidas, faça uma lista de todas as dívidas que você tem e escreva ao lado qual a penalidade caso você deixe de pagar. 

Caso você deixe de pagar o financiamento da sua casa ou do seu automóvel, o credor poderá tomar os seus bens para abater do saldo devedor. Da mesma forma, se você deixar de pagar o condomínio ou o IPTU, você também pode vir a perder o seu imóvel.

E se você deixar de pagar um parente ou um amigo? Você pode criar graves prejuízos para essa pessoa que lhe socorreu no momento que você precisava e acabar abalando o relacionamento de vocês.

Já as dívidas sem garantia, podem até aumentar de valor rapidamente por causa dos altos juros, mas não afetarão de forma imediata o seu patrimônio, podendo ser colocadas em segunda escala de prioridade. 

Organização é o segredo

Por mais que você busque estratégias para complementar a sua renda, você não tem 100% de controle se você vai conseguir. Mas ter as suas finanças organizadas é algo que depende 100% de você. 

É claro que imprevistos podem vir a acontecer, mas você pode se preparar, inclusive, para lidar com eles de forma que os impactos na sua vida financeira sejam minimizados. Basta começar a reservar dinheiro mensalmente para situações de emergência. 

Mesmo que você consiga reservar apenas um pouquinho a cada mês, o mais importante é começar a criar o hábito de poupar. Mesmo quem está endividado deve começar a sua reserva, pois quando o imprevisto acontecer, você evitará de ter que pegar mais dinheiro emprestado.

Além disso, você precisa começar a controlar os seus gastos. Você tem consciência total de como você está usando o seu dinheiro e de quais são os seus maiores gastos? Você costuma gastar com planejamento ou sem planejar?

Se você começar a controlar melhor o seu dinheiro, eliminando os gastos desnecessários e buscando economias no dia a dia, você pode conseguir fazer o dinheiro surgir de onde você nem imaginava.

Negocie com cautela

Se você tiver calma para negociar suas dívidas, você poderá conseguir grandes reduções. Comece trocando dívidas com taxas mais altas por empréstimos com taxas menores. Isso é possível através de portabilidade de dívidas ou mesmo contratando outros empréstimos mais baratos. 

Tenha atenção para garantir que a taxa está sendo reduzida. Nunca troque sua dívida por contratos com juros maiores. Outro cuidado é quanto ao alongamento do prazo. Sempre multiplique a quantidade de parcelas remanescentes pelo valor atualizado delas para conferir quanto será o valor total a ser pago ao final do contrato. 

Dê preferência a trocar seus empréstimos por contratos que podem reduzir o prazo e manter o mesmo valor de parcela. Mas caso esteja com o orçamento mensal muito apertado, você pode manter o mesmo prazo do contrato anterior, pois com as taxas menores, o valor da parcela cairá, mas o saldo devedor não aumentará. 

Eu conheço pessoas que começaram a aplicar essas estratégias e conseguiram reduzir o total de suas dívidas em mais de R$50mil reais. 

Conclusão

Percebeu quanta coisa é possível que você faça antes de colocar a mão no bolso para quitar suas dívidas? Você tem uma jornada a percorrer que pode te trazer grandes resultados. 

É possível! Você pode sair desse ciclo de angústia, stress e frustração por causa da dívida. Acredite, você pode ter tentado de muitas formas, mas talvez você tenha tentado de formas erradas. Não perca a esperança! Permita-se aprender do jeito certo. Continue acompanhando os meus conteúdos.

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Karem Ochsendorf
Formada em Engenharia Elétrica com ênfase em Telecomunicações, e graduanda em Filosofia. Atualmente, pesquisa e trabalha como Educadora Financeira com mais de 10 anos de experiência no mercado. No FDR, possui sua própria coluna com dicas e orientações sobre como lidar com as finanças de maneira positiva.