Tensões entre Rússia e Ucrânia afetam custos das companhias aéreas

Diante da intensificação das tensões entre Rússia e Ucrânia, as ações de companhias aéreas pelo mundo foram afetadas. Estas empresas tem sido impactadas pela elevação no valor do petróleo. Isso porque o querosene da aviação é o principal insumo das companhias aéreas.

No Brasil, a Gol e Azul foram impactadas na Bolsa de Valores. Por conta da invasão da Rússia sobre a Ucrânia, houve uma elevação no preço do petróleo — e uma desvalorização do real.

Vale destacar que 55% dos custos das companhias aéreas brasileiras são dolarizados. Além disso, o combustível representa 30% dos gastos destas empresas.

A guerra na Ucrânia começa em uma fase que o setor de turismo apresentava uma reação. Desde o começo da pandemia de coronavírus, em meio às restrições de viagens, o segmento tem sido impactado.

De qualquer modo, antes mesmo do agravamento da tensão entre os países, o setor aéreo já estava sob pressão, por conta da alta nos custos com energia.

No início de fevereiro, a refinaria Acelen — companhia criada pelo Mubadala Capital para comandar a refinaria Landulpho Alves, comprada pela Petrobras em 2021 — promoveu um reajuste no valor do querosene de aviação.

Foi aplicada uma alta de R$ 411,12/m³ do JET-A (querosene de aviação), desenvolvido na Refinaria de Mataripe, na Bahia.

Companhias aéreas são impactadas nas bolsas de valores

Na última quinta-feira (24), quando a Rússia começou a invadir a Ucrânia, as ações de companhias aéreas foram impactadas pelo mundo. No pré-mercado da Nasdaq, a American Airlines chegou a cair mais de 5%. Apesar disso, a empresa encerrou o dia em aumento de 1,92%.

Na Europa, a volatilidade foi ainda maior. Na Bolsa de Paris, a Air France-KLN caiu 6,56%. Na Bolsa de Frankfurt, a Lufthansa encerrou em desvalorização de 6,89.

no Brasil, na quinta a Gol registrou queda de 2,57%. A Azul teve uma desvalorização ainda maior, de 5,85%. Na sexta-feira passada (25), as duas empresas seguiram em queda, mas em nível menor. A Gol recuou 0,97%, a R$ 17,28. a Azul desvalorizou 2,95%, a R$ 25,29.

Apesar do desempenho negativo nos dois últimos pregões, as companhias ainda seguem no positivo em 2022. No acumulado anual, a Gol apresenta alta de 1,46%. Já a Azul registra elevação de 3,81%.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.