Onde é o melhor lugar para investir neste cenário de instabilidade mundial?

Por conta da guerra entre Rússia e Ucrânia, mercados pelo mundo foram impactados. Diante disso, os investidores vêm buscando alternativas para proteger as aplicações. Entenda onde é o melhor lugar para investir neste cenário de instabilidade mundial.

Onde é o melhor lugar para investir neste cenário de instabilidade mundial?
Onde é o melhor lugar para investir neste cenário de instabilidade mundial? (Imagem: Montagem/FDR)

Antes da intensificação do conflito entre as nações estrangeiras, o mercado já apresentava volatilidade. Isso por conta da proximidade das eleições, aperto monetário brasileiro e aumento de juros nos Estados Unidos. Com esse novo problema, os investidores precisam ter mais atenção.

Onde é o melhor lugar para investir neste cenário de instabilidade mundial

Segundo análise do Valor, o conflito geopolítico reforça a recomendação dominante anteriormente. A indicação é de aproveitar os retornos elevados das estratégias de renda fixa.

Em meio a incertezas no horizonte, a recomendação do estrategista do UBS Consenso, Ronaldo Patah — na revisão do portfólio para este ano — foi de subir a parcela em renda fixa. Consequentemente, houve a diminuição do percentual em alguns ativos voláteis.

Segundo o executivo-chefe de investimentos do private banking do Santander, Christiano Clemente, é necessário observar para onde o conflito se escalará. Isso caso realmente aconteça.

O contexto ainda reforça a tendência de favorecer estratégias ligadas a juro real (descontando a inflação). Neste sentido, se destacam os títulos privados com isenção fiscal.

De acordo com especialistas apurados pelo InfoMoney, a tensão deve aumentar os preços de quatro classes de ativo: dólar, ouro, papéis de renda fixa brasileiros atrelados à inflação e à taxa do CDI — indicador de referência para esse tipo de aplicação — e commodities (especialmente agrícolas e de energia).

Ao mesmo passo, há a recomendação de evitar ações e títulos de dívida ligados a companhias aéreas, varejo, e também companhias do setor imobiliário, que foram prejudicadas com a alta do dólar, evolução dos preços e os juros maiores no Brasil e exterior.

No entendimento dos analistas do banco UBS, Mark Haefele, Michael Bolliger e Vincent Heaney, o contexto entre Rússia, Ucrânia e Ocidente escalou rapidamente.
Neste cenário, para eles, isso reforça a necessidade de que o investidor possua um portfólio diversificado em setores, geografias e classes de ativos.

Já conforme analistas consultados pelo CNN Brasil Business, mesmo que existam boas opções de ativos de proteção no mercado atualmente, a melhor escolha varia segundo o perfil de investidor e a carteira de ativos que a pessoa tem no momento.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.