Festival de música internacional vai utilizar NFT’s; saiba como vai funcionar

Neste ano, terá o festival de música e artes Coachella, depois de dois anos sem acontecer por conta da pandemia causada pelo novo coronavírus.Em seu retorno, os organizadores estão criando alguns NFTs

Apesar dos tokens terem sido utilizados até agora para registrar a propriedade de ativos digitais, a intenção de conectar as NFTs do Coachella a benefícios tangíveis do mundo real, como entradas vitalícias para o evento e acesso a áreas e atrações exclusivas.

Os NFTs são tokens digitais que são armazenados em blockchains, em que todos os ativos que vivem em blockchain, outros exemplos incluem criptomoedas como Bitcoin, elas são criptografadas e distribuídas, portanto, altamente seguras.

Como será o uso em Coachella?

Os organizadores do festival fecharam uma parceria com a exchange de criptomoedas FTX para construir seu próprio mercado NFT. 

Assim, os participantes do festival poderão comprar e negociar a partir de três séries iniciais de tokens.

O primeiro, a Coachella Keys Colletion, é um conjunto exclusivo de dez NFTs com passes vitalícios do festival a quem os possui. Aqueles que possuem tokens também terão acesso VIP aos vários eventos virtuais que o Coachella está preparando, no metaverso da marca.

Após isso, mais duas coleções de NFT serão lançadas. A coleção Sights and Sounds está mais alinhada com as ofertas típicas da NFT, consistindo em 10.000 imagens e sons digitais do festival, que supostamente custarão US$ 60 (cerca de R$ 300) cada. 

A coleção mais cara do Desert Reflections será vinculada à propriedade física de um livro de fotos de edição limitada encomendado para celebrar os 20 anos de história do festival.

O que são NFTs?

O NFT é a sigla para o termo non fungible token, ou “token não fungível”. Estes,são tokens, ou seja, códigos numéricos com registro de transferência digital que garantem autenticidade aos seus donos. 

Assim, eles funcionam como itens colecionáveis, que não podem ser reproduzidos, mas sim transferidos. Diferente das criptomoedas, como o Bitcoin, e vários tokens utilitários, os NFTs não são mutuamente intercambiáveis. 

Os NFTs podem realmente ser qualquer coisa digital, mas muito do “hype” gira em torno da arte digital. Esses podem representar virtualmente qualquer tipo de item, seja ele real ou intangível, incluindo:

– Trabalhos artísticos;

– Itens virtuais dentro de videogames, como skins, moedas digitais, armas e avatares;

– Música;

– Colecionáveis, como cards digitais;

– Ativos do mundo real tokenizados, desde imóveis e carros a cavalos de corrida e tênis de marcas famosas;

– Terrenos virtuais;

– Vídeos de momentos icônicos do esporte.

Essa digitalização de arte conquistou diversos adeptos e o mercado de NFT explodiu com mais de US$400 milhões movimentados apenas nos primeiros meses de 2021. 

O que pode ser uma NFT?

Os quadros físicos e digitais, músicas, itens de jogos, memes, fotos de momentos do esporte, domínios de sites, vídeos e até posts em redes sociais podem virar tokens não fungíveis.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Há dois anos é redatora do portal FDR, onde acumula bastante experiência em produção de notícias sobre economia popular e finanças.