Financiamento imobiliário tem grande aumento fora das capitais

De acordo com um levantamento feito pelo Itaú Unibanco, baseado nos financiamentos feitos pelo banco, os brasileiros estão realizando mais financiamento de imóveis em cidades que não são as capitais dos seus estados. 

O volume de crédito que foi liberado para financiamentos nestas cidades subiu 161%, entre janeiro e dezembro de 2021.

O levantamento também mostrou uma preferência por imóveis menores, com até 50m², que cresceu 204% no último ano, em comparação com 2020. Também cresceu de maneira significativa, 162%, os financiamento para imóveis entre 50 m² e 100 m².

“Identificamos alguns fatores que podem ter contribuído para essas tendências, entre os quais a valorização do metro quadrado e a necessidade de ambientes multifuncionais em meio a um modelo de trabalho cada vez mais remoto ou híbrido”, disse ao Valor Investe, Thales Ferreira Silva, diretor do Itaú Unibanco.

“Nesse contexto, residências em cidades fora de grandes centros urbanos proporcionam mais qualidade de vida”, finalizou.

O banco identificou que além desta tendência de crescimento na procura por imóveis localizados fora de capitais dos estados, no último ano aconteceu ainda um aumento acima da média nas regiões Norte, com um aumento de 437%, na procura por financiamento imobiliários, no Centro-Oeste (300%) e Nordeste (280%).

O Amapá, com aumento de 548%, Paraíba (311%), Mato Grosso do Sul (229%), Santa Catarina (224%) e Espírito Santo ( 164%), ficaram com os melhores desempenhos. 

Imóveis mais caros

Em janeiro, os preços de venda de imóveis residenciais cresceram em média 0,53%, de acordo com o índice FipeZap+.

O percentual acompanhou a projeção mais recente para o IPCA, o índice oficial da inflação, que foi revelada na última segunda, no Boletim Focus do Banco Central, para o mês, de 0,54%, e bem menor que o IGP-M, índice mais focado no mercado imobiliário, de 1,82%. O aumento dos preços dos imóveis foi de 0,48% em dezembro.

Segundo o levantamento, em todas as 50 cidades monitoradas pelo índice, menos em Canoas que registrou uma queda de 0,16%, foram constatados aumentos nos preços. Os destaques ficaram para Betim (+3,15%), São José dos Campos (+2,74%), Vila Velha (+2,07%), Balneário Camboriú (+2,03%), Goiânia (+2,02%), Campo Grande (+1,98%), que ficara acima do IGP-M.

Também se destacaram com as altas mais acentuadas, Maceió (+1,65%), São José (+1,63%), Vitória (+1,57%) e Florianópolis (+1,22%).

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.