É possível consultar ‘dinheiros esquecidos’ de pessoas falecidas?

Banco Central anuncia plataforma para consulta financeira. Se você deseja resgatar alguma quantia da conta de um parente falecido, fique atento. O Sistema de Valores a Receber (SVR), gerenciado pelo BC, permite a retirada de recursos esquecidos nas instituições bancárias. O procedimento é gratuito. Saiba como utiliza-lo, abaixo.

Muitas pessoas se questionam sobre a permanência de algum valor esquecido em suas contas bancárias ou a de familiares. Em caso de falecimento, por exemplo, é preciso contactar cada instituição financeira para entender o saldo do parente que se foi. Porém, no novo serviço do Banco Central, o resgate pode ser feito pela internet.

Detalhes sobre o SVR

Trata-se de uma plataforma virtual que permite consultas sobre a situação financeira dos cidadãos. Ela está disponível na internet e pode ser acessada por qualquer pessoa.

“A pessoa consegue com o CPF e a data de nascimento essa informação [saber da existência de dinheiro esquecido]. O que estamos discutindo internamente e procurando é a viabilidade jurídica e técnica para dar mais informações para esse herdeiro”, afirmou Carlos Eduardo Gomes, chefe do Departamento Institucional do Banco Central.

“O BC está estudando o assunto e, em breve, pretende divulgar informações sobre esse caso em específico”, acrescentou.

Como consultar?

A consulta deve ser feita através do número do CPF, para pessoas físicas, e CNPJ, para empresas. Além disso, exige-se também a data de nascimento ou de criação da empresa. Repassados os dados, basta confirmar a pesquisa e aguardar o resultado.

Quem estiver com alguma quantia para receber, terá exibido na tela o valor exato do montante e pode agendar a data da transferência. Os repasses serão iniciados a partir do dia 7 de março.

O que é válido como dinheiro esquecido?

A contabilidade financeira será feita levando em consideração os seguintes informes:

  • Contas correntes ou poupança encerradas com saldo disponível
  • Tarifas cobradas indevidamente, desde que previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC
  • Parcelas ou obrigações relativas a operações de crédito cobradas indevidamente, desde que previstas em Termos de Compromisso assinados pelo banco com o BC
  • Cotas de capital e rateio de sobras líquidas de beneficiários de cooperativas de crédito
  • Recursos não procurados de grupos de consórcio encerrados

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.