Chuvas em Petrópolis: Bolsonaro determina auxílio imediato para vítimas

As fortes chuvas que atingiram a região serrana do Estado do Rio de Janeiro (RJ), especialmente em Petrópolis, na noite desta terça-feira, 15, resultaram na morte de, pelo menos, 18 pessoas. A intensa queda d’água provocou 60 deslizamentos, segundo informações do Corpo de Bombeiros.

No período de apenas seis horas, as chuvas em Petrópolis atingiram o patamar esperado para todo o mês de fevereiro. Diante de tamanha intensidade, as enxurradas fecharam algumas das principais ruas de acesso na região central da cidade. Os impactos foram o corte de energia em várias regiões.

Mas não foi só isso, a forte correnteza atingiu carros que estavam estacionados nas ruas e os arrastou, além de invadir lojas e mercados. Todo o prejuízo pode ser visto em vídeos compartilhados na internet, que mostram inclusive, o desabamento de uma escola, sendo apontado como um dos efeitos mais estrondosos.

Devido à situação precária e emergencial, o presidente da República, Jair Bolsonaro, determinou o auxílio imediato para as vítimas das enchentes provocadas por fortes chuvas em Petrópolis.

O apoio também tem sido prestado pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que designou a visita do secretário nacional de Defesa Civil ao município para que ele pudesse acompanhar o resgate das vítimas.

“Estamos em contato com a prefeitura e faremos todos os esforços para socorrer as vítimas. Nossa Defesa Civil Nacional está trabalhando com as defesas civis do estado e do município”, afirmou o ministro.

Vale lembrar que, infelizmente, não é a primeira vez que este tipo de evento chega à cidade de Petrópolis. No verão de 2011 foi registrada uma das maiores tragédias ambientais da história do Brasil após fortes temporais atingirem a região. Na ocasião, cerca de 918 pessoas morreram e 30 mil ficaram desabrigadas.

“De Moscou tomei conhecimento sobre a tragédia que se abateu em Petrópolis/RJ. Fiz várias ligações para os ministros Rogério Marinho e Paulo Guedes para o auxílio imediato às vítimas, bem como conversei com o ministro da Defesa, general Braga Neto, que me acompanhava na Rússia”, disse Bolsonaro em sua conta no Twitter.

Lembrando que no mês de dezembro quando os estados da Bahia e Minas Gerais também enfrentaram uma crise semelhante provocada por fortes chuvas, o presidente recebeu críticas extremas após decidir tirar uma folga no litoral de Santa Catarina, ignorando a tragédia. Na ocasião, as enchentes deixaram vários mortos e feridos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.