Mais de 2,7 milhões de empregos foram criados no Brasil em 2021

Governo federal anuncia novos indicativos de empregabilidade no Brasil. Nessa segunda-feira (31), o Ministério do Trabalho informou que o país contabilizou 2,73 milhões de empregos com carteira assinada ao longo de todo o ano de 2021. O número, apesar de ser inferior que a previsão divulgada por Paulo Guedes, ainda é celebrado pelo poder público. Entenda.

Nos últimos 12 meses, o brasileiro passou a sentir na pele os impactos do desemprego e da atual crise econômica que afeta todo o país. No entanto, ainda assim o governo federal vem celebrando os indicativos de emprego que gerou 20.699.802 novas contratações e 17.969.205 demissões.

Os números foram anunciados a partir do levantamento realizado pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). Até janeiro de 2021, o governo informou que deveria criar em torno de 142 mil vagas de emprego, porém o número foi diversas vezes reajustado tendo em vista que o país passou a calcular o fechamento de vagas.

O que dizem os especialistas sobre o mercado de trabalho nacional?

De acordo com analistas econômicos, em comparação com os anos antes de 2020, não é uma taxa positiva, uma vez em que o governo vem alterando a metodologia de contabilidade da sua empregabilidade.

As alterações no relatório objetivam justamente gerar um certo otimismo na população, ainda que haja milhares de brasileiros desempregados sob a dependência de projetos sociais como o Auxílio Brasil, entre outros.

É válido ressaltar que diante da atual crise econômica, o Brasil regrediu em sua evolução social, ampliando a desigualdade entre classe. Os mais ricos, puderam ampliar sua renda, ao mesmo tempo em que parte da classe média caiu para os indicativos de pobreza e os menos favorecidos voltaram ao mapa da fome.

Posicionamento do governo federal

Ao divulgar o relatório, o secretário-executivo do Ministério do Trabalho e da Previdência, Bruno Dalcolmo, enfatizou um suposto progresso econômico registrado em 2021:

“Foi um ano extremamente positivo na geração de empregos. Realmente um ano a ser comemorado, talvez sem paralelo na história do país, o que demonstra o vigor da economia brasileira ao longo de 2021”, disse.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestra em ciências da linguagem pela Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo na mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.