Cachorra perdida em voo é encontrada após ficar 45 dias desaparecida; dono pode cobrar indenização?

A cachorra perdida durante 45 dias em um voo, foi encontrada no último domingo, 30, pelos funcionários do Aeroporto Internacional de Guarulhos. Diante do ocorrido, o proprietário tem a intenção de pedir uma indenização por danos morais e materiais.

O dono da cachorrinha perdida, o garçom Reinaldo Júnior, apesar de ter ficado feliz com o retorno de sua companheira, conta que ambos sofreram emocional e fisicamente com o acontecimento. Durante 45 dias Reinaldo se mobilizou junto à toda família  na busca por Pandora. 

Ele conta que não tem arrependimentos, mas que a perda foi grande. Não só a cadela de estimação esteve desaparecida, mas ele perdeu a promessa de emprego na Suíça, a viagem e 16 quilos. “Ela ficou debilitada de um lado, e eu de outro. Mas o importante é que ela está de volta comigo”, declarou Reinaldo.

No entendimento do advogado Leandro Petraglia, um dos representantes dos tutores da cachorra perdida, a companhia aérea não ofereceu o devido apoio nas buscas. O mesmo vale para a concessionária que administra o Aeroporto Internacional de Guarulhos. De acordo com o advogado, Reinaldo e a família foram proibidos de entrar no aeroporto para fazer buscas.

Reinaldo e os familiares ficaram por alguns dias em um hotel, cujas despesas com estadia foram uma promessa da Gol. No entanto, no terceiro dia, todos foram expulsados do hotel até que três dias mais tarde, o advogado conseguiu uma permissão na Justiça para entrar no aeroporto, além do direito de permanecer no hotel por mais um mês. 

O advogado, Leandro Petraglia, declarou a intenção de entrar na Justiça com uma ação de reparação de danos morais e materiais, basicamente uma indenização, em virtude do impacto emocional e financeiro provocados durante a busca por Pandor, além do estado no qual a cachorra perdida foi encontrada quase dois meses mais tarde. 

“A Gol dizia que estava ajudando, com esforços, mas em nenhum momento vimos nada específico para as buscas. Reinaldo e Terezinha é que saíam todos os dias para procurar e panfletar”, declarou.

Em nota, a Gol afirmou ter prestado assistência adicional, como consulta veterinária, além de disponibilizar um colaborador da empresa para acompanhar os donos da cachorra perdida no que fosse necessário durante todo o processo. Contudo, também alega que todos os auxílios oferecidos foram negados por Reinaldo Júnior. 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.