Ansiedade financeira: aprenda a atenuar os efeitos na sua vida

A ansiedade financeira é a sensação de preocupação, medo e desconforto relacionados ao dinheiro. Ela pode ser decorrente de muitas razões, como falta de saldo na conta corrente, dificuldade na tomada de decisões, insegurança quanto ao futuro, etc. Leia este artigo até o final para aprender a como atenuar os efeitos na sua vida.

Em estudo realizado em 2019, a Organização Mundial da Saúde (OMS) apontou que o Brasil possui, se comparado a todos os outros países, o maior número de pessoas ansiosas do mundo. São 18,6 milhões de brasileiros que sofrem com algum tipo de transtorno de ansiedade.

Depois da pandemia e de toda a crise financeira que se desenrolou no país, a ansiedade e a preocupação com o dinheiro se tornou algo ainda mais comum no cotidiano dos brasileiros.  

A alta expressiva da inflação em 2021 acarretou um endividamento ainda maior entre as famílias. Sem dúvidas, este cenário não afeta apenas os bolsos, mas também a mente de tantas pessoas que precisam trabalhar ainda mais para conseguir recursos para bancar as despesas básicas.

Segundo estudo divulgado pelo instituto britânico Money and Mental Health, responsável por pesquisas sobre dinheiro e saúde mental, as dificuldades financeiras podem ser responsáveis por uma série de problemas de saúde, como depressão, ansiedade, estresse e insônia. E quem sofre desses problemas, tende a tomar decisões financeiras piores, prejudicando ainda mais a sua situação.

Uma pesquisa de 2017 mostrou o quanto os problemas de saúde mental afetam o comportamento financeiro. Segundo o estudo, 93% das pessoas que sofrem com ansiedade, depressão ou outra condição que afeta a saúde mental gastam mais dinheiro, mais da metade contratam empréstimos desnecessários e 71% evitam encarar suas dívidas.

Uma das primeiras reações à ansiedade financeira é a fuga. Muitos evitam administrar as finanças, se esquivando de analisar o verdadeiro cenário financeiro. No entanto, tal atitude só piora a situação, gerando ainda mais ansiedade. Veja dicas para atenuar os efeitos da ansiedade na sua vida e começar a ter domínio sobre as suas finanças:

Fatie os problemões em probleminhas

Quando temos muitos problemas, eles costumam se avolumar diante de nós parecendo um grande gigante quase impossível de ser vencido. Nestas ocasiões, muitos paralisam e não conseguem avançar em nenhuma direção.

Pode ser que você tenha muitas dívidas e não saiba por onde começar para quitá-las. As empresas de cobrança ligam para o seu telefone o dia inteiro. Você morre de vergonha e tem vontade de jogar tudo para o alto. Mas fugir, não vai resolver.

Fatie os problemões em probleminhas. Relacione todas as suas dívidas e comece a estabelecer prioridades. Você não vai conseguir resolver tudo ao mesmo tempo, por isso, verifique qual é a dívida mais grave, aquela que trará mais consequências caso você deixe de pagar e estabeleça pequenas ações para resolvê-la. 

Uma pequena ação pode ser, por exemplo, descobrir o saldo devedor da dívida atualizado. Outra pequena ação pode ser descobrir quais são todas as dívidas que você tem com bancos. É possível descobrir consultando o seu relatório de crédito (SCR) junto ao sistema Registrato do Banco Central.

Quando você fica paralisado, você acaba ficando mais ansioso. Mas quando você começa a se colocar em movimento, realizando pequenas ações de cada vez, você vai se sentindo mais confiante e capaz. Com o decorrer dos dias, o que era um grande emaranhado de problemas, vai se dissipando e se transformando em tarefas possíveis de serem concluídas.

Peça ajuda 

Ansiedade não é frescura e por isso é muito importante ter ajuda profissional adequada. Inclusive, muitas pessoas podem apresentar, simultaneamente, quadros de depressão e ansiedade, de forma que acabam imobilizadas emocionalmente.

É muito importante ressaltar que quem sofre de algum distúrbio mental ou psicológico não é culpado disso. E, pode, sim, curar-se, contando com a ajuda de profissionais. Por isso, não hesite em buscar ajuda. 

Além disso, existe uma lacuna bem grande no Brasil quando o assunto é educação financeira. Muitas pessoas estão enfrentando quadros de superendividamento ou sentem-se inseguras para tomar decisões na área financeira por falta de conhecimento. Neste sentido, a figura do profissional de educação financeira pode ser de extrema importância. Não tenha vergonha de admitir que precisa de ajuda para educar-se financeiramente. 

Atividades de lazer são remédio para você

Cortar gastos com lazer não é o mesmo que eliminar o lazer da sua vida. Não abra mão das atividades de lazer, elas são remédio contra a ansiedade e os problemas emocionais. 

Você pode fazer atividades ao ar livre e passeios gastando pouquíssimo ou quase nada. Por isso, pesquise alternativas perto da sua casa e busque companhias agradáveis para lhe acompanhar.

Segundo o psiquiatra integral Antonio Fontana, a falta de tempo para o lazer estimula o estresse e outros distúrbios de saúde. Por isso, as atividades de lazer, quando incluídas na rotina, podem substituir gastos com medicamentos e consultas médicas.   

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Karem Ochsendorf
Formada em Engenharia Elétrica com ênfase em Telecomunicações, e graduanda em Filosofia. Atualmente, pesquisa e trabalha como Educadora Financeira com mais de 10 anos de experiência no mercado. No FDR, possui sua própria coluna com dicas e orientações sobre como lidar com as finanças de maneira positiva.