Presidente dos EUA destina US$ 1 bi para incentivar concorrência no setor de carnes; como ficam JBS, BRF e Marfrig?

Nesta segunda-feira (3), o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, anunciou um plano para elevar a concorrência no setor de carnes norte-americano. O governo liberará US$ 1 bilhão para aumentar a capacidade de pequenas processadoras de carne no país.

Conforme Joe Biden, o governo do Estados Unidos irá “fortalecer as regras que protegem os agricultores, pecuaristas e consumidores”. Por meio deste investimento, o governo dos EUA busca diminuir uma forte concentração no setor de processamento de carnes.

Segundo análise da Casa Branca, quatro companhias controlam de 55% a 85% do mercado local nos setores de carne bovina, suína e de frango. São estas: a brasileira JBS, as norte-americanas Tyson Foods e Cargill e a National Beef Parking — da brasileira Marfrig.

O governo de Joe Biden tem criticado a indústria de carnes norte-americana. O argumento é de que o segmento vem sendo controlado um número limitado de companhias — e a falta de concorrência desfavorece os consumidores.

No último mês, a Casa Branca declarou que os frigoríficos vinham elevando os valores acima da inflação.

Grandes empresas do setor de carnes podem ser impactadas pela medida

Essa decisão tem o potencial de afetar companhias como JBS e Marfrig. Na véspera, diante da expectativa pelo anúncio do presidente do Estados Unidos, as ações da JBS (JBSS3) fecharam com queda de 4,22%, a R$ 36,35.

Já as ações da Marfrig (MRFG3) desvalorizaram 3,62%, a R$ 21,27. As vendas de carne do país norte-americano representam aproximadamente 75% da receita total destas companhias.

O maior negócio mundial da JBS são as operações de carne bovina dos EUA. A Marfrig, por sua vez — após a aquisição da National Beef Parking —, teve o peso das operações americanas aumentar consideravelmente no resultado geral da empresa.

No terceiro trimestre de 2021, estas empresas apresentaram resultados positivos, em grande parcela, por conta das operações nos Estados Unidos.

Por outro lado, as ações da BRF (BRFS3) registraram alta na véspera do anúncio da Casa Branca. A valorização foi de 3,11% a R$ 23,22. Este foi, inclusive, o segundo maior aumento do Ibovespa no respectivo dia.

Perspectivas sobre as ações da JBS, BRF e Marfrig

Apesar dos possíveis riscos pelas medidas do governo dos EUA, o Bank of America (BofA) indicou recomendação de compra para as ações da JBS e Marfrig.

Os analistas do banco esperam “que as exportações de proteína continuem crescendo em 2022 e a demanda continue forte devido à reabertura e às mudanças nos hábitos de consumo na China”.

Apesar disso, o BofA aponta riscos. Para o JBS, um destes é a normalização dos valores da carne bovina nos Estados Unidos. Com relação à Mafrig, os riscos valem para o potencial de valorização do real ante o dólar, além de possíveis dificuldades com a exportações — por conta da pandemia.

Já com relação à BRF, há um rating neutro. Um dos riscos para esta companhia é uma compra total pela Marfrig.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.