Maioria dos brasileiros não aprovou mudança do Bolsa Família para o Auxílio Brasil

Segundo pesquisa realizada pelo Datafolha e divulgada no jornal Folha de São Paulo no sábado (25), a 43% dos brasileiros não aprovaram a mudança do Bolsa Família para o Auxílio Brasil. O novo benefício está sendo pago desde novembro, quando o programa anterior, criado na primeira gestão Lula, foi extinto.

A pesquisa consultou 3.666 pessoas, residentes em 191 municípios de todo o Brasil, entre os dias 13 a 16 de dezembro. Por outro lado, 41% dos entrevistados viram a mudança como positiva. Outros 9% não souberam opinar e 7% avaliaram que a mudança não foi nem positiva, nem negativa.

O levantamento do Datafolha também traz os dados de acordo com o perfil dos entrevistados:

  • Entre simpatizantes do PT e críticos do governo Bolsonaro 62% desaprovam a criação do Auxílio Brasil
  • Entre eleitores do ex-presidente Lula a mudança é vista como negativa por 59%
  • E entre os entrevistados que “não conseguem alimentar a família” o percentual de desaprovação chega a 51%

Por outro lado, beneficiários do extinto Bolsa Família e grupos que apoiam o presidente veem a criação do Auxílio Brasil como positiva:

  • Entre os que recebiam o Bolsa Família 44% aprovam a mudança e 42% reprovam, diferença que está dentro da margem de erro
  • Entre eleitores de Bolsonaro e apoiadores do governo a aprovação é de 76%, entre evangélicos 51%, empresários 58% e pessoas que “conseguem alimentar a família” 51%.

Popularidade de Bolsonaro e liderança de Lula

Ao que tudo indica, a criação do Auxílio Brasil ainda não foi suficiente para elevar a popularidade do governo. Segundo o levantamento do Datafolha, 53% dos brasileiros reprovam a atual gestão, pior índice até aqui.

O Auxílio Brasil está pagando um valor médio de R$ 415, superior ao que o Bolsa Família costumava pagar. Mas há relatos de famílias que não conseguiram migrar de um benefício para outro e também críticas à formulação do novo programa.

O Auxílio Brasil está garantido apenas até o fim de 2022, diferente do Bolsa Família, que tinha caráter permanente. É possível que o público esteja enxergando a iniciativa do governo como sendo eleitoreira.

O Datafolha também consultou as intenções de voto para a eleição presidencial. O ex-presidente Lula lidera com 48%, com chances de ganhar ainda no primeiro turno. Bolsonaro aparece em segundo lugar, com 22%. No segundo turno, os dois candidatos ficariam com 72% e 21%, respectivamente.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Amaury Nogueira
Amaury da Silva Nogueira é bacharelando em Letras/Edição pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Apaixonado pelo universo da escrita, atua há dois anos como redator e realiza pesquisas sobre história da edição no Brasil. Além disso, atualmente pesquisa também sobre direitos e benefícios sociais para agregar conhecimento na redação do portal de notícias FDR.