Bancos alemães estão de olho nas criptomoedas

Os bancos de poupança da Alemanha, tidos como conservadores que detém cerca de 1 trilhão de euros, começaram a investir em criptomoedas, de acordo com um grupo do setor. 

Este movimento representa uma quebra consideravelmente radical da postura tradicional do grupo, cuja a característica dos clientes é evitar investimentos de risco ou empréstimos pesados. 

O grupo que possui 50 milhões de clientes forma o maior grupo financeiro da Alemanha. “O interesse em ativos criptográficos é enorme”, afirmou um porta-voz dos bancos.

Esta abertura para os ativos acontece em meio a um cenário de inflação em alta e de tarifas cobradas dos investidores e vem estimulando um forte debate no país. Com isso, os alemães passaram a investir mais em propriedades e em outros locais para que não acontecesse o que alguns chamaram de “expropriação” de sua riqueza.

Em novembro, Helmut Schleweis, presidente da Associação de Bancos de Poupança Alemã, chamou a junção de taxas de juros baixas e preços em crescimento de uma “mistura tóxica”, alegando que ficou mais difícil segurar a erosão da riqueza.

A criptomoeda mais conhecida do mundo, o bitcoin, que está com US$1,2 trilhão de valor de mercado, teve um forte aumento, estimulado, em parte, pelo receio da inflação, tendo seu fornecimento limitado, considerado como uma proteção.

A moeda possui vários concorrentes menores, grande parte delas sem utilidade fora do comércio, lutando por uma participação no mercado de moedas digitais de 2 trilhões de dólares.

O que é bitcoin?

As criptomoedas são ativos da mesma forma que o real, dólar e euro, porém que circulam somente em ambiente virtual.Entre estas moedas, o bitcoin é a mais conhecida, mas existem tantos outros, como Ethereum, Litecoin e Ripple.

A base do sistema do Bitcoin é a criptografia. É isso que garante que o sistema funcione e que todas as transações sejam efetuadas de forma segura e anônima. Por conta disso os Bitcoins são chamados de criptomoedas.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.