Parcela de R$ 400 do Auxílio Brasil pode não chegar para todos; saiba o motivo      

No mês passado, o governo deu início aos pagamentos do Auxílio Brasil. Esse programa substituiu o Bolsa Família e trouxe mudanças e ampliações. Para este mês, a estimativa é que a média de pagamento seja de R$ 400. Porém, nem todos os beneficiários receberão essa quantia.

Parcela de R$ 400 do Auxílio Brasil pode não chegar para todos; saiba o motivo      
Parcela de R$ 400 do Auxílio Brasil pode não chegar para todos; saiba o motivo (Imagem: montagem/FDR)

O Auxílio Brasil, antigo Bolsa Família, pretende ampliar o número de beneficiários e o valor médio de recebimento. Atualmente, 14,5 milhões de famílias em situação de pobreza ou pobreza extrema são contempladas. Porém, o governo pretende acrescentar mais 2 milhões de beneficiários, de forma gradual.

A média de pagamento do Bolsa Família era de R$ 192, mas o primeiro pagamento do Auxílio Brasil a média foi reajustada, com base na inflação, passando para R$ 224. Porém, a proposta é que essa média seja de R$ 400 a partir desse mês. Os novos valores têm como referência os seguintes benefícios:

  • Benefício Primeira Infância: famílias com crianças de até 3 anos recebem o valor de R$ 130;
  • Benefício de Superação da Extrema Pobreza: jovens de 18 a 21 anos incompletos recebem R$ 65, o intuito é o incentivo para que os jovens concluam a escolarização;
  • Benefício Composição Familiar: para famílias que tenham gestantes, ou pessoas de 3 a 17 anos de idade, ou de 18 a 21 anos matriculados na educação básica. O valor do benefício será de R$ 65 por pessoa, no limite de até cinco benefícios por família;
  • Auxílio Esporte Escolar: estudantes de 12 a 17 anos incompletos que se destacam em competições oficiais do sistema de jogos escolares brasileiros e que são de famílias beneficiárias do Auxílio Brasil recebem parcela única de R$ 1 mil ou R$ 100 mensais;
  • Bolsa de Iniciação Científica Júnior: para estudantes com bom desempenho em competições acadêmicas. O valor é de 12 parcelas mensais de R$ 100 ou R$ 1 mil em parcela única;
  • Auxílio Criança Cidadã: para o responsável de criança de até 4 anos incompletos que tenha fonte de renda, mas não consiga vaga em creches públicas ou de rede conveniada. O valor é de R$ 200 para crianças matriculadas em período parcial e R$ 300 em período integral;
  • Auxílio Inclusão Produtiva Rural: destinado para agricultores familiares inscritos no Cadastro Único para programas sociais do Governo Federal (CadÚnico). O valor recebido deve ser de R$ 200;
  • Auxílio Inclusão Produtiva Urbana: destinado para quem comprovar vínculo de emprego formal. Valor recebido deve ser de R$ 200;
  • Regra de Emancipação: para beneficiários que tiveram aumento de renda per capita ultrapassando o limite para a inclusão no auxílio, estes serão mantidos na folha de pagamento por mais 24 meses.

Assim como o Bolsa Família, o Auxílio Brasil é formado por diversos benefícios, sendo cada um destinado a um grupo. Por esse motivo, mesmo com uma média de R$ 400, o valor recebido é variável, conforme a composição familiar.

Quem vai ficar de fora do Auxílio Brasil?

Durante o anuncio de substituição do Bolsa Família, o atual governo prometeu a inscrição de 17 milhões de pessoas como beneficiárias. No entanto, apenas 14,5 milhões foram inclusas nesse pagamento de até R$ 400.

O que significa a exclusão de pelo menos 3 milhões de pessoas que ainda aguardam na fila de espera. O motivo da não liberação do Auxílio Brasil tem haver com a falta de verba para financiar o programa.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves é formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Atuou na área acadêmica durante 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, onde já acumula anos de pesquisa e experiência. Além de realizar consultoria de redação on-line.