CVM abre processo para investigar falas de Bolsonaro sobre a Petrobras

Nesta segunda-feira (6), a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) abriu um processo administrativo para investigar possível vazamento de informações da Petrobras. O processo acontece após falas do presidente Jair Bolsonaro sobre alterações de preços dos combustíveis.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade
CVM abre processo para investigar falas de Bolsonaro sobre a Petrobras
CVM abre processo para investigar falas de Bolsonaro sobre a Petrobras (Imagem: Montagem/FDR)

Neste domingo, em entrevista ao site Poder360, Bolsonaro declarou que a Petrobras anunciará um conjunto de diminuições nos valores dos combustíveis — a partir desta semana. Apesar disso, o presidente não entrou em detalhes sobre de quanto seria o corte e nem quando aconteceria.

Em nota, nesta segunda, a Petrobras desmentiu a declaração do mandatário. A estatal informou que não existe uma decisão tomada sobre novos reajustes nos valores de combustíveis. A companhia ressalta que não antecipa decisões sobre reajustes.

publicidade

Diante da repercussão da declaração de Bolsonaro, a CVM abriu processo administrativo. A medida trata da “supervisão de notícias, fatos relevantes e comunicados”.

O processo deve avaliar os fatos — e analisar se existem possíveis irregularidades. Em caso de confirmação, a Comissão poderá instaurar uma acusação. Como resultado, o caso poderá ser julgado.

Como a Petrobras está listada na Bolsa, não pode divulgar informações para outra pessoa. De acordo com a CVM, fatos que podem influenciar na decisão de compra e venda dos ativos ou na cotação das ações devem ser comunicados ao mercado via fato relevante.

CVM já havia aberto processo anteriormente após falas de Bolsonaro

Anteriormente, a CVM já tinha aberto processo envolvendo a Petrobras — depois de falas de Jair Bolsonaro. Em outubro, um processo foi aberto após declarações do presidente e do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a privatização da companhia.

Na ocasião, o presidente alegou que a estatal “entrou no radar” do governo. Após isso, o ministro informou que bastou a fala de Bolsonaro sobre a desestatização para as ações da Petrobras elevarem.

Em diversas ocasiões, Paulo Guedes demonstrou ser favorável à privatização da empresa. Na semana passada, o ministro questionou os benefícios de manter a

publicidade

Petrobras como uma companhia estatal, mas listada em Bolsa.
Segundo o ministro, “A Petrobras não satisfaz ninguém, e a bomba fica no colo do governo”.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.