Inflação pode aumentar em 10% o valor na revisão do INSS

A nova estimativa para o inflação do ano é de 10,04% segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). O novo percentual divulgado pela Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia, afeta a revisão anual do piso e do teto do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)

Inflação pode aumentar em 10% o valor na revisão do INSS
Inflação pode aumentar em 10% o valor na revisão do INSS. (Imagem: FDR)

O INPC é um dos medidores oficiais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esta é a base utilizada para calcular a inflação oficial, por consequência, o reajuste do salário mínimo e o aumento dos benefícios do INSS

Desta forma, caso o índice de 10,04% se mantiver, o piso nacional será elevado para R$ 1.200 em 2022, que também será a base mínima dos benefícios previdenciários.

Enquanto isso, o teto do INSS passará de R$ 6.433,57 para R$ 7.079,50 com base nas estimativas feitas pelo Governo Federal. 

Hoje, o INSS paga os seguintes benefícios:

  • Aposentadoria especial;
  • Aposentadoria por idade;
  • Aposentadoria por tempo de contribuição;
  • Auxílio-acidente;
  • Auxílio-doença;
  • Benefício assistencial;
  • Pensão por morte;
  • Salário-maternidade.

A concessão de cada um deles se baseia no piso e no teto do INSS. Porém, alguns deles, especificamente, pagam o equivalente ao salário mínimo, é o caso do auxílio por incapacidade temporária, o famoso auxílio-doença e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). 

Enquanto isso, todos os outros benefícios serão submetidos à revisão do INSS de acordo com a projeção de inflação. Neste sentido, o FDR listou abaixo as médias salariais comumente pagas pelo instituto hoje, e como elas ficarão em 2022. Veja!

Valor em 2021 Valor em 2022
R$ 1.200 R$ 1.320,48
R$ 2.000 R$ 2.200,80
R$ 3.000 R$ 3.301,20
R$ 4.000 R$ 4.401,60
R$ 5.000 R$ 5.502
R$ 6.000 R$ 6.602,40

É importante destacar que, mesmo que a previsão seja capaz de reajustar tanto o salário mínimo quanto os benefícios do INSS, os trabalhadores e segurados não serão contemplados pelo ganho real. Isso porque, a revisão não irá repor o poder de compra dos cidadãos brasileiros. 

A concessão de um reajuste salarial inferior à variação do índice de preços, automaticamente reduz os gastos do Governo Federal. Lembrando que os benefícios previdenciários viabilizados pelo INSS não podem ser inferiores ao piso da remuneração. 

Desta forma, diversos cálculos indicam que cada real incluído no reajuste anual do salário mínimo, representa em uma despesa superior a R$ 350 milhões nos cofres públicos. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o salário mínimo é a base para 50 milhões de trabalhadores e segurados do INSS.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.