Fim do auxílio emergencial! Pagamentos encerram esta semana em todo Brasil

Pontos-chave
  • Calendário de saques do auxílio emergencial termina amanhã, 19.
  • Programa foi criado em 2020 e começou a ser pago em abril do ano passado;
  • Benefício foi substituído pelo Auxílio Brasil.

Após mais de um ano amparando milhares de cidadãos brasileiros, 39 milhões apenas em 2021, o auxílio emergencial chega ao fim esta semana. Nesta sexta-feira, 19, é a última data de saque da sétima parcela do benefício, desta vez, para os nascidos em dezembro.

Fim do auxílio emergencial! Pagamentos encerram esta semana em todo Brasil
Fim do auxílio emergencial! Pagamentos encerram esta semana em todo Brasil. (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)

O auxílio emergencial foi criado em 2020 em meio à pandemia da Covid-19 com o propósito de promover um amparo financeiro para as famílias brasileiras em situação de vulnerabilidade social.

Na época, essa iniciativa foi de extrema importância, pois a crise sanitária afetou o mercado de trabalho e, por consequência, os postos de trabalho. 

Enquanto milhares de trabalhadores tiveram a jornada de trabalho reduzida, logo a remuneração, outros tantos ficaram sem trabalho em virtude do desemprego em massa que assolou cerca de 14 milhões de brasileiros. Com a renda reduzida ou nenhuma, manter a subsistência própria ou da família ficou ainda mais difícil. 

Para complicar ainda mais a situação, a pandemia da Covid-19 também agravou a crise econômica que o Brasil já enfrentava, afetando a inflação que impacta os preços praticados em produtos e serviços comercializados no âmbito nacional. Em outras palavras, tudo ficou mais caro. 

Estes são alguns pontos que tornam o auxílio emergencial ainda mais relevante para a população brasileira, ainda que nem todos os cidadãos com direito ao benefício tenham o recebido.

Na fase inicial do programa, muitas famílias que viviam em condições precárias aproveitaram o recebimento dos valores para construir ou fazer melhorias em casas sem nenhuma infraestrutura. Outros priorizaram a comida na mesa e as contas em dia. 

Independente da finalidade com a qual o auxílio emergencial foi utilizado em 2020 e 2021, os valores oferecidos pelo Governo Federal no decorrer dos últimos meses tiveram um impacto positivo.

Mas agora, o efeito já começou a ser revertido com o término do programa e a transição para o Auxílio Brasil, cuja capacidade de amparo é reduzida. 

Auxílio Emergencial de 2020

A pandemia da Covid-19 chegou ao Brasil em meados de março de 2020 e, logo de cara, já causou impactos notórios e expressivos para a população. No mês seguinte, o Governo Federal começou a liberar os pagamentos do auxílio emergencial que seguiu até dezembro de 2020. 

A princípio, o auxílio emergencial de 2020 pagou cinco parcelas de R$ 600 para a população geral e R$ 1.200 para as mães solteiras chefes de famílias monoparentais. De imediato o programa foi prorrogado até o mês de dezembro, mas com parcelas reduzidas a R$ 300 e R$ 600, respectivamente. 

Auxílio Emergencial de 2021

Com o fim do auxílio emergencial em 2020, muitos brasileiros ficaram ansiosos e preocupados sobre a renovação do programa para este ano. Após uma espera que pareceu uma eternidade, o benefício voltou a ser pago também no mês de abril.

A princípio, a rodada atual tinha apenas quatro parcelas entre abril e julho, mas diante do clamor da população e de líderes partidários, a renovação mais três parcelas que se encerraram em outubro. 

A particularidade na oferta do auxílio emergencial em 2021 se refere ao valor pago pelo governo. Melhor dizendo, valores. Isso porque, não foi fixada uma quantia única, e sim parcelas de R$ 150, R$ 250 e R$ 375. Cada valor foi concedido de acordo com o perfil dos beneficiários da seguinte forma:

  • R$ 150 para quem mora sozinho;
  • R$ 250 para os representantes de grupos familiares;
  • R$ 375 para as mães solteiras chefes de famílias monoparentais. 

Viabilização do auxílio emergencial 

Em um primeiro momento, o auxílio emergencial foi liberado em saques diretos na Caixa Econômica Federal (CEF) ou em contas escolhidas e informadas pelos beneficiários no momento da inscrição, independente da instituição. Porém, diante das aglomerações provocadas pelos beneficiários, um novo formato foi encontrado pela instituição financeira. 

Trata-se da plataforma Caixa Tem, que disponibiliza uma conta poupança social digital para os beneficiários do programa e, com o passar do tempo, passou a ser utilizada pelo governo para liberar outros benefícios como o seguro desemprego, o PIS/PASEP e o Bem.

No Caixa Tem, é possível fazer uma série de transações online, como recarga de celular, pagamento de boletos, uso do cartão de débito virtual e transferências e pagamentos via TED, DOC e PIX.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.