Caminhoneiros do agronegócio anunciam greve com impacto nacional

Caminhoneiros autônomos do Mato Grosso ligados ao agronegócio, decidiram paralisar as suas atividades em decorrência dos constantes reajustes no preço dos combustíveis. Mesmo com a proibição da Justiça de bloquear rodovias, a categoria está empenhada em reivindicar seus direitos.

Um vídeo que está circulando na internet mostra um representante que afirma que “continua firme e forte parado” e “não vai carregar frete ruim”.

O profissional afirma que conversou com o ministro da Infraestrutura, Tarcisio de Freitas e que os comerciantes solicitaram que os caminheiros retomassem o trabalho. Segundo o representante, o ministro disse para que a greve continuasse.

“Dessa vez vocês não vão conseguir porque nós não estamos trancando pista, cometendo erro. Eu nunca cometi esse erro, meus colegas várias vezes cometeram esse erro e dessa vez entramos num acordo de não fazer essa besteira ai”, disse.

“Vamos ver até onde eles aguentam com o produto deles estocado”, disse o grevista.

Na última segunda, 8, os caminhoneiros autônomos que atuam no Porto de Santos em São Paulo, terminaram a greve.

O fim da greve foi determinado em uma Assembleia realizada no Sindicato dos Operários Portuários de Santos (Sintraport). Segundo a Santos Port Authority (SPA), o acesso ao Porto de Santos aconteceu de forma normal durante os dias de paralisação, e não houve concentração de caminhões parados.

“Esse tipo de paralisação é o que recomendamos, algo que não pare as estradas e ao mesmo seja eficaz. Em algumas situações, como no caso da paralisação recente no porto de Santos, a categoria conseguiu ganhos superiores aos da tabela de frete”, disse à revista Marlon Maues, diretor-executivo da Confederação Nacional Transportadores Autônomos (CNTA).

Jair Bolsonaro diz que se a Petrobras reajustar novamente o preço do diesel, o tamanho da greve dos caminheiros deve crescer. Na semana passada, o presidente afirmou que a estatal iria anunciar um novo aumento nos próximos 20 dias. Porém, logo em seguida, a empresa negou.

“Você não tem como fazer milagre, é uma correia de transmissão essa questão. Inclusive a Petrobras já fala em um novo reajuste. Eu não vou omitir informações, essa é uma realidade que está acontecendo e você vê já cada vez mais crescendo tendência de caminhoneiros de parar o Brasil”, disse Bolsonaro à Jovem Pan Curitiba na segunda.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.