Auxílio Centrão, criado na Câmara, deve fortalecer criação do Auxílio Brasil

Aliados de Bolsonaro favorecem aprovação de proposta para beneficiar seu governo. Nessa madrugada, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), violou o regimento da casa para validar o Auxílio Centrão. A medida tem como finalidade garantir que o governo consiga adiar algumas de suas dívidas e assim financiar o Auxílio Brasil de forma inconstitucional.

Auxílio Centrão, criado na Câmara, deve fortalecer criação do Auxílio Brasil (Imagem: FDR)
Auxílio Centrão, criado na Câmara, deve fortalecer criação do Auxílio Brasil (Imagem: FDR)

A aprovação do Auxílio Brasil dentro do orçamento da União tem sido o principal assunto debatido em Brasília. O programa é visto como a principal estratégia de reeleição de Bolsonaro, de modo que vem fazendo com que seus aliados políticos movam suas forças para reajustar a contabilidade.

Auxílio Centrão

Considerado o braço direito de Bolsonaro na Câmara dos Deputados, Arthur Lira dedicou a madrugada desta sexta-feira (05) para aprovar um novo programa. Além da aceitação da PEC dos Precatórios, o gestor encaminhou também o texto do auxílio centrão que deverá liberar em torno de R$ 91 bilhões no orçamento da União.

De acordo com os cálculos do Tesouro Nacional, é preciso desembolsar em torno de R$ 50 bilhões para financiar o Auxílio Brasil. Os demais R$ 30 bilhões serão destinados para outras despesas até o momento não explicitadas.

Posicionamento dos parlamentares

Durante a votação, os parlamentares se posicionaram contra a oposição. Alberto Neto, deputado pelo Partido Republicanos do Amazonas e integrante do Centrão, comemorou da seguinte forma:

“Hoje, a Esquerda realmente ficou nua, ficou totalmente contraditória. Como é que a Esquerda pode votar contra o Auxílio Brasil, que está dobrando o valor do Bolsa Família? Como é que o deputado do PT vai chegar em sua base, vai olhar para seu eleitor e dizer: ‘Eu votei contra os 400 reais! Eu votei contra o Auxílio Brasil’? Como é que o deputado da Esquerda vai chegar ao seu município e vai dizer ao seu prefeito que votou contra o parcelamento da sua dívida previdenciária?”.

Diante da aprovação, espera-se que a partir de janeiro Bolsonaro anuncie um novo valor para o Auxílio Brasil. Atualmente o programa começará a ser concedido com uma parcela de R$ 200, no entanto, a previsão é de que haja um aumento para R$ 400 por segurado.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.