Renda Fixa vs Variável: Qual a melhor opção para pequenos investimentos?

Você sabia que é possível investir com pouquíssimo dinheiro? Com apenas um real você já pode começar. Mas afinal, qual a melhor opção para quem quer começar seus investimentos com pouco?. 

Nesse artigo eu vou te explicar qual a melhor opção para você fazer pequenos investimentos: Renda Fixa ou Renda Variável.

Mas, antes de mais nada, você sabe qual é a diferença entre Renda Fixa e Renda Variável?.

Renda Fixa

Na renda fixa, a remuneração pode ser previamente definida no momento da aplicação. Os investimentos mais populares: caderneta de poupança; cdbs; lci, lca; títulos públicos; fundos de investimento; entre outros.

As remunerações podem ser pré-fixadas, ou seja, as taxa de juros são percentuais fixos. Mas também podem ser pós-fixadas e atreladas a algum índice, os mais comuns atualmente são o CDI (índice de juros) e o IPC-A (índice de inflação). 

Os investimentos de renda fixa não ficam tão sujeitos às oscilações do mercado e é possível que o investidor conheça qual será a rentabilidade antes mesmo de fazer a sua aplicação.

Por isso, esses investimentos são considerados menos arriscados e mais adequados ao investidor conservador e também aos que estão iniciando. Mas, não é por que as rentabilidades são conhecidas que a renda fixa é totalmente isenta de risco. 

Os riscos das aplicações de renda fixa podem acontecer se, por exemplo, o emissor do título vier a quebrar ou deixar de pagar no vencimento, por qualquer motivo.

Ou, se no vencimento você verificar que o rendimento da aplicação que você escolheu foi menor que de outros investimentos de risco e prazo semelhantes. E até mesmo se o retorno for menor que a inflação.

Renda Variável

Já na renda variável, não é possível conhecer a rentabilidade que será obtida. As ações e os fundos imobiliários são exemplos de investimentos de renda variável, mas existem outros.

Nesse tipo de investimento, o preço dos títulos sofrem variações constantemente por que sofrem a influência de diversos eventos que afetam as empresas emissoras, e também, da economia e do mercado financeiro. 

Justamente porque oferece mais risco, a renda variável também tem uma rentabilidade maior, ainda mais se o investimento for feito de forma criteriosa, avaliando bem as opções e diversificando os ativos.

Como decidir a melhor opção para o seu caso

Antes de mais nada, saiba que é possível investir na renda fixa ou renda variável ao mesmo tempo, inclusive com pouco dinheiro. O mais importante, na realidade, é você alinhar os seus objetivos, os prazos e mais ainda, o risco que você está disposto a correr.

Por exemplo, vamos dizer que o seu objetivo é construir uma reserva de emergência. O que você precisa nesse caso? Você precisa poder sacar o dinheiro imediatamente caso alguma emergência aconteça, não é mesmo?. 

Você não pode correr o risco de acontecer alguma coisa e o seu dinheiro estar preso ou, pior ainda, perder parte do valor investido. Já imaginou aplicar 100 reais na reserva de emergência e quando você precisar sacar só ter 30 reais de saldo?.

Para a reserva de emergência, você precisa deixar o dinheiro na renda fixa, em investimentos de liquidez imediata, ou seja, que você possa sacar imediatamente caso algum problema aconteça e que tenha baixíssimo risco. Consequentemente, a rentabilidade será mais baixa.

Já para objetivos de médio prazo, ou seja, que tenham prazo entre 1 a 5 anos, você até pode correr um pouquinho de risco, mas não muito. Sendo assim, você pode destinar aproximadamente 20% a 30% para a renda variável e deixar o restante na renda fixa. Isso vai depender, claro, se você é um investidor mais conservador, mais moderado ou mais agressivo

Já para os investimentos de longo prazo, mesmo que você seja um investidor de perfil mais conservador ou moderado, você pode aplicar uma parte maior na renda variável. Afinal, mesmo que você perca um pouco no curto prazo com a variação dos preços dos ativos, no longo prazo, a tendência é que os investimentos tenham tempo para se recuperar das perdas.

Além disso, você também vai ganhando tempo para aumentar seu conhecimento sobre como investir melhor e vai ganhando segurança para ir ajustando a sua carteira de investimentos.

Conclusão

Você pode fazer pequenos investimentos tanto na renda fixa como na renda variável e não precisa escolher entre um e outro. Tudo vai depender dos seus objetivos de investimento, do prazo que você pretende resgatar e do risco que você quer correr. 

E, principalmente, do quão seguro você está para escolher investimentos de renda variável de forma criteriosa e diversificada. Então, o primeiro e melhor investimento que você deve fazer é em conhecimento: esse é um ativo que nunca se desvaloriza!

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Karem Ochsendorf
Formada em Engenharia Elétrica com ênfase em Telecomunicações, e graduanda em Filosofia. Atualmente, pesquisa e trabalha como Educadora Financeira com mais de 10 anos de experiência no mercado. No FDR, possui sua própria coluna com dicas e orientações sobre como lidar com as finanças de maneira positiva.