INSS exige perícia médica de 85 mil segurados com agendamento até dia 11

INSS convoca novo grupo em sua operação pente fino. Nessa semana, o Instituto Nacional do Seguro Social informou que mais de 85 mil segurados têm até o próximo dia 11 para agendar uma perícia médica e regularizar o cadastro de seus benefícios. O procedimento é obrigatório e pode resultar na suspensão dos salários.

Perícia médica negou seu auxílio do INSS? Veja como entrar com recurso
Perícia médica negou seu auxílio do INSS? Veja como entrar com recurso (Imagem: FDR)

Há meses o INSS vem realizando uma fiscalização no cadastro de seus segurados. Aqueles que receberem qualquer tipo de beneficio por incapacidade devem ficar atentos.

O órgão vem intimando em torno de 85 mil pessoas para a realização obrigatória da perícia médica que deve ser feita até o dia 11.

Detalhes sobre a operação pente fino

A ação de força tarefa tem como finalidade desligar o cadastro dos beneficiários que não estejam dentro das regras de concessão impostas pelo INSS. Por meio dela, a previdência espera reduzir o número de fraudes em sua folha orçamentária de modo que assim diminua também suas despesas.

A grande maioria da população notificada faz parte do grupo que está sem a renovação da perícia médica. O procedimento funciona como uma espécie de validação do quadro de saúde que inviabiliza o cidadão de exercer seu trabalho e consequentemente justifica o pagamento de seu abono.

Do total de beneficiários chamados no edital, apenas 10.397 marcaram uma data para a perícia médica de revisão no país, informou o INSS a Folha de SP.

Passo a passo para agendar a perícia pelo Meu INSS

  • Acesse a Página do Meu INSS (internet ou App);
  • Após o Login vá até a opção “Agende sua Perícia” no menu esquerdo;
  • Clique em “Agendar Novo”;
  • Acompanhe o pedido em “Resultado de requerimento/Benefício por incapacidade”;
  • Compareça na data marcada.

Lista dos benefícios que exigem a perícia médica

Lista das documentações complementares para a renovação do cadastro

  • Documento de identidade (RG, CNH, etc) e o CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Atestado médico que conste a CID (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde) e tenha assinatura, carimbo e endereço do profissional;
  • Carteiras de Trabalho e/ou Carnês de Recolhimento;
  • ASO emitido pelo médico do trabalho, em que se atesta a condição de saúde do trabalhador;
  • Carta elaborada pela empresa em se declare o último dia de trabalho;
  • Exames de sangue e de imagem que comprovem a doença ou lesão;
  • Todas as receitas que indiquem a medicação utilizada pelo paciente.

 

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.