iFood altera nomes dos pedidos com acusações à Lula e a favor de Bolsonaro

Maior plataforma de delivery do país é invadida. Nessa terça-feira (02), os usuários do iFood foram surpreendidos com a atualização nos nomes dos estabelecimentos. Quem tentou fazer algum pedido viu que os restaurantes apresentavam mensagens de cunho político em ameaça ao ex-presidente Lula e exaltação a Bolsonaro.

A alienação política brasileira vem alcançando espaços cada vez maiores. Após a remoção de anunciantes a favor de Bolsonaro, com mensagens de cunho racista que violam o código dos direitos humanos, o iFood foi invadido por hackers que exaltavam o presidente e ofendiam seu opositor, Lula.

A situação ocorreu na noite dessa terça-feira (02). Ao abrir o aplicativo, o nome dos restaurantes foi trocado por mensagens como “Lula Ladrão” ou “Bolsonaro 2022”. Além disso, haviam ainda informes contra a campanha de vacinação, como “Vacina Mata”.

iFood se pronuncia sobre

Em nota enviada para o portal UOL, o iFood explicou que 6% dos estabelecimentos cadastrados foram afetados, mas não se sabe ainda a origem do problema.

A empresa informou que está tomando as “medidas imediatas para sanar o problema e proteger os dados de restaurantes, consumidores e entregadores”. (Leia a nota abaixo).

“Em investigações preliminares, a empresa informa que não há qualquer indício de vazamento da base de dados pessoais cadastrados na plataforma, tampouco de dados de cartão de crédito.IFood”, em nota enviada ao UOL.

Após uma hora a marca anunciou que “o incidente foi causado por meio da conta de um funcionário de uma empresa prestadora de serviço de atendimento que tinha permissão para ajustar informações cadastrais dos restaurantes na plataforma, e que o fez de forma indevido”.

” O acesso da prestadora de serviço foi imediatamente interrompido, e os nomes dos restaurantes já estão sendo restabelecidos. É importante destacar que os meios de pagamento dos clientes estão seguros”, disse o IFood, em sua conta no Twitter.

Repercussão na internet

Diante do ocorrido, diversos prints com os nomes alterados passaram a circular na internet. Os usuários acusam a equipe e o eleitorado do atual presidente, Jair Bolsonaro, tendo em vista as mensagens ao seu favor e a concordância com seus atos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.