Gás de cozinha volta a subir em outubro; veja o preço em cada região

No acumulado de outubro, o gás de cozinha possui alta de 3,5%. Somente na semana passada, houve aumento de 1,5% em relação à semana anterior. As informações são da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Gás de cozinha volta a subir e acumula alta de 3,5% em outubro
Gás de cozinha volta a subir e acumula alta de 3,5% em outubro (Imagem: Montagem/FDR)

Na última semana, o botijão de 13 de quilos de GLP (Gás Liquefeito de Petróleo) atingiu o preço médio de R$ 101,96. Ao considerar o mesmo período anterior, o valor do gás de cozinha era de R$ 100,44. No acumulado anual, o valor do gás de cozinha aumentou 36,4% no país.

Entre todos os municípios do país, o maior valor encontrado foi em Cacoal (RO). Nesta localidade, o botijão estava a R$ 135. Já o menor valor identificado pela ANP foi em Cariacica (ES). Neste caso, o valor foi de R$ 75,99.

A Agência informou que somente oito estados tiveram o valor médio do gás de cozinha abaixo dos R$ 100. São estes: Alagoas, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e Pernambuco.

Ao considerar a análise por região, estes foram os preços médios indicados na última semana:

  • Norte R$ 108,86
  • Centro-Oeste R$ 108,22
  • Sul — R$ 105,04
  • Sudeste — R$ 100,34
  • Nordeste — R$ 99,31

Gás de cozinha pode passar por novos reajustes

De acordo com especialistas consultados pelo Globo, podem acontecer novos reajustes no GLP. Os motivos são a alta do dólar — que na última sexta-feira (22) passou de R$ 5,71 — e a elevação do preço do barril de petróleo no mercado internacional.

No dia 9 de outubro, o GLP passou por reajuste nas refinarias da Petrobras. A elevação feita pela estatal foi de 7,2%. Na ocasião, o aumento deste mesmo patamar foi aplicado à gasolina.

De acordo com a Petrobras, o preço médio do GLP passou de R$ 3,60 para R$ 3,86 por quilo. O aumento equivale a R$ 50,15 por botijão de 13 quilos. Esta mudança refletiu reajuste médio de R$ 0,26 por quilo.

Como justificativa, a Petrobras declarou que o aumento sobre o GLP tinha sido após 95 dias com preços estáveis. A estatal afirmou que evitou o repasse imediato para os valores internos da volatilidade externa provocada por eventos conjunturais.

Além disso, a estatal alegou que os reajustes são importantes para assegurar que o mercado continue sendo suprido em bases econômicas — e sem riscos de desabastecimento.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.