Crise! 69% dos brasileiros têm reação negativa à economia do país

Popularidade do governo e instabilidade econômica colocam o Brasil em uma das piores crises do século. Nesta segunda-feira (20), uma pesquisa divulgada pelo instituto Datafolha revelou que 69% da população teve a renda afetada mediante o atual contexto político e financeiro do país. A gestão do presidente Jair Bolsonaro tem sido reprovada por 58% do eleitorado.

Crise! 69% dos brasileiros têm reação negativa à economia do país (Imagem: Marcos Corrêa/PR/Flickr)
Crise! 69% dos brasileiros têm reação negativa à economia do país (Imagem: Marcos Corrêa/PR/Flickr)

Há meses o Brasil vem lidando com os efeitos do novo coronavírus. No entanto, para além da pandemia, a população tem sido cada vez mais pressionada a reajustar suas contas mediante o clima de crise e instabilidade econômica e política.

Nos últimos meses a inflação veio batendo recordes históricos, fazendo com que produtos como gasolina, cesta básica e até mesmo o botijão de gás ficassem mais caros.

Pesquisa revela indicadores negativos mediante cenário de crise

Um estudo feito pela Datafolha entre 13 e 15 de setembro, revela que mais da metade da população tiveram sua economia afetada nos últimos meses. Dos 3.667 brasileiros em 190 municípios, 69% afirmaram ter tido redução de renda e aumento das despesas.

Ainda de acordo com o levantamento, o público mais afetado foram as mulheres, onde 74% afirmaram estar com as contas apertadas. Já para os homens a crise vem sendo sentida em 62%.

Na faixa etária, 65% das pessoas de 16 a 44 anos reprovam o atual governo. Cerca de 70% desse grupo recebem apenas até dois salários mínimos e consequentemente não conseguem manter o sustento.

Avaliada por região, a rejeição a economia de Bolsonaro fica em 70% no Sudeste e Nordeste e em 65% nas demais regiões. Já na perspectiva de ocupação, destaca-se o índice elevado entre assalariados sem registro (77%) e estudantes (74%) e menor entre empresários (54%).

O que encareceu nos últimos meses?

Entre os produtos mais inflacionados no último mês e que afetam a população de baixa renda está o botijão de gás doméstico, que já vem sendo vendido por mais de R$ 100. Além disso, a cesta básica passou a ter um custo médio de R$ 1 mil.

Já a gasolina é comercializada acima dos R$ 6, o diesel e demais combustíveis também foram encarecidos. Por fim, é válido ressaltar ainda o reajuste de mais de 100% nas contas de luz que estão com as maiores tarifas da história.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA