Quais os impactos econômicos que a greve dos caminhoneiros pode gerar?

Como forma de tentar acabar com a paralisação dos caminhoneiros, o presidente Jair Bolsonaro enviou um áudio para os profissionais solicitando a liberação das estradas pelo país. O presidente argumentou que a greve “atrapalha a economia”. Este pedido não foi feito atoa, pois em 2018, a greve da categoria causou um grave desabastecimento, falta de combustíveis e desfalque nos supermercados.

Quais os impactos economicos que a greve dos caminhoneiros pode gerar?
Quais os impactos econômicos que a greve dos caminhoneiros pode gerar? (Imagem: Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Porém, os dez dias de paralisação naquele ano causaram outros efeitos. A greve derrubou o resultado da produção industrial em maio de 2018, impactou a inflação e diminuiu a capacidade de crescimento da economia.

Naquele momento, a paralisação foi causada pela política de repasse da flutuação nas cotações do petróleo no mercado exterior aos preços dos combustíveis. No início do movimento, somente em maio, a gasolina havia passado por 12 reajustes de preço e o diesel dez. 

Mas, agora a manifestação é originária de mobilização política em um gesto de apoio ao presidente Bolsonaro, logo após os atos de 7 de setembro que defendeu pautas antidemocráticas.

Na paralisação de 2018, devido a restrição de circulação de mercadorias, a indústria foi o segmento mais atingido, que teve uma queda de 10,9 em maio. Também foram fortemente atingidos a produção de automóveis, que caiu 30% e a produção de alimentos, com 18,5% de queda.

Caso uma situação parecida com essa volte a acontecer neste ano, os impactos seriam ainda mais agressivos para economia. A produção de automóveis no último mês já foi a mais baixa registrada nos últimos 18 anos.

A queda foi causada pela falta de peças e componentes, de acordo com a Anfavea, a associação dos montadores.

Este é resultado direto dos impactos econômicos trazidos pela pandemia do coronavírus na cadeira de de suprimentos. O setor projeta uma recuperação somente no ano que vem. 

Um baque na produção de alimentos em um cenário de inflação acumulada superando os 9%, iria prejudicar ainda mais a renda das famílias que já sofrem com os preços altos e desemprego. 

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 4.5
Total de Votos: 2

Quais os impactos econômicos que a greve dos caminhoneiros pode gerar?

×
Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira, formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo, atua como do redator do portal FDR produzindo matérias sobre economia em geral e também como repórter do site Aparato do Entretenimento cobrindo o mundo da TV e das artes.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA