Governo do Ceará lança programa que paga metade do salário mínimo aos trabalhadores

Governo do Ceará anuncia novo benefício para estimular o mercado de trabalho. Nessa terça-feira (13), o chefe de estado, Camilo Santana, informou que estará pagando 50% dos salários dos novos servidores contratados nas empresas do setor de comércio e serviços. A proposta passará ainda pela aceitação da Assembleia Legislativa, sendo aplicada em seguida.

Governo do Ceará lança programa que paga metade do salário mínimo aos trabalhadores (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
Governo do Ceará lança programa que paga metade do salário mínimo aos trabalhadores (Imagem: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)

Tendo em vista os altos índices de desemprego e crise econômica motivados pelo novo coronavírus, o governo do Ceará lança um programa específico para fomento no mercado de trabalho. Cerca de 20 mil novos trabalhadores serão beneficiados com 50% do salário mínimo as custas dos cofres públicos.

Detalhes do projeto

Camilo Santana explicou que a ação objetiva incentivar as empresas a fazerem novas contratações. Todos os novos colaboradores terão 50% do salário pago pelo governo, fazendo com que a despesa do contratante reduza pela metade.

“Digamos que a empresa tem cinco empregados e agora vai contratar mais cinco. Como estímulo do governo pra gerar mais emprego, nós vamos pagar 50% do salário desse trabalhador. É uma forma de auxiliar a economia”, exemplificou Camilo Santana.

O gestor afirmou que os detalhes do projeto serão anunciados assim que o mesmo for aprovado na Assembleia Legislativa. É válido ressaltar que Camilo tem uma ampla base de apoio, sendo a maioria de suas propostas aceitas pelo Executivo sem grandes negociações.

“A lei vai determinar o regramento dessa política, a pessoa não pode demitir um pra contratar outro. São novos empregos, tem que gerar novos empregos. Também tem um teto do número de pessoas na regulamentação.”

Os cidadãos contratados e inclusos no benefício terão o incentivo do governo durante o período de seis meses. Já as empresas serão obrigadas a manter esse colaborador, sem autorização para demissão para a entrada de um novo contratante visando a redução de sua despesa.

Pedido de urgência na Assembleia

Em suas redes sociais, Camilo solicitou que o projeto fosse analisado na Assembleia em caráter de urgência, tendo em vista a necessidade de garantir a manutenção no mercado de trabalho.

Criamos um projeto que vai pra Assembleia, no mais tardar, amanhã [quarta-feira, 14]. Já falei com o presidente [da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão] e queremos que seja votada na quinta-feira [15] porque nessa semana ela [Assembleia] entrará em recesso. Vou pedir até que, se possível, regime de urgência.”

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.