Comércio de SP ganhou nova flexibilização; como funcionam os restaurantes?

Desde a última sexta-feira, 9, o comércio está autorizado a funcionar até as 23h. Anteriormente, o horário limite era até 21h. A autorização inclui todos os setores da economia, como shoppings, serviços e ainda bares e restaurantes. Saiba os detalhes.

Comércio de SP ganhou nova flexibilização; como funcionam os restaurantes?
Comércio de SP ganhou nova flexibilização; como funcionam os restaurantes? (Imagem: Rovena Rosa/Agência Brasil)

A capacidade de atendimento para os estabelecimentos também foi ampliada de 40% para 60%.

Segundo João Doria, governador de São Paulo, a decisão engloba todo o estado, até mesmo os locais que ainda estão com mais de 80% de ocupação de leitos de UTI reservados para a covid-19.

Doria disse que será de responsabilidade do governo local determinar medidas mais rígidas, caso seja necessário.

O governo estuda também a realização de 30 eventos-teste a partir do próximo dia 17. Entre estes eventos estão festivais, feiras, eventos esportivos e shows.

A retomada das aulas presenciais também foi anunciada para as escolas técnicas e universidades a partir do próximo dia 2.

Bares e restaurantes

Os bares e restaurantes também foram autorizados a abrir até às 23h. Os frequentadores podem entrar nos locais até às 22h. A capacidade máxima autorizada é de 60%.

Funcionamento das 6h às 23h

  • Restaurantes, bares, cafés e lanchonetes (entrada até 22h, permanência até 23h)
  • Lojas, shoppings, galerias e demais comércios não essenciais (entrada até 22h)
  • Salões de beleza, barbearias e clínicas de estética
  • Museus, cinemas, teatros e shows somente com público sentado
  • Academias de ginástica, clubes e centros esportivos
  • Pode funcionar sem restrição

Os serviços considerados essenciais estão listados abaixo e podem funcionar sem restrições:

  • Mercados
  • Padarias
  • Açougues
  • Postos de combustíveis
  • Lavanderias
  • Meios de transporte coletivo, como ônibus, trens e metrô
  • Transportadoras, oficinas de veículos
  • Atividades religiosas
  • Hotéis, pousadas e outros serviços de hotelaria
  • Bancos
  • Pet shops
  • Serviços de delivery ou entregas

Fase de transição

Para determinar as medidas de restrição em decorrência da pandemia, o governo paulista criou o Plano São Paulo. Desde 18 de abril, todo o estado se encontra na fase de transição e os critérios definidos originalmente pelo plano deixaram de ser seguidos.

A fase foi criada para representar uma etapa transitória da fase vermelha, a mais restritiva, para uma mais permissiva. Ela não considera os indicadores da pandemia no estado.

Segundo o plano, a autorização de funcionamento até às 23h seria autorizado apenas na fase verde, que só poderia ser adotada quando as taxas de ocupação de UTI estivessem abaixo de 60%. Neste momento, a taxa de ocupação desses leitos está em 70% no estado.

O governo já havia adiado três vezes a liberação do comércio até às 23h antes desta mudança mais recente.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Paulo Amorim
Paulo Henrique Oliveira é formado em Jornalismo pela Universidade Mogi das Cruzes e em Rádio e TV pela Universidade Bandeirante de São Paulo. Atua como redator do portal FDR, onde já cumula vasta experiência e pesquisas, produzindo matérias sobre economia, finanças e investimentos.