SP anuncia que não vai priorizar vacinação para bancários e carteiros

Na última terça-feira, 6, o Ministério da Saúde anunciou a inclusão de bancários e carteiros no grupo prioritário da campanha de vacinação contra a Covid-19. A previsão é para que cerca de 600 mil profissionais de ambas as categorias sejam imunizados por todo o país.

SP anuncia que não vai priorizar vacinação para bancários e carteiros
SP anuncia que não vai priorizar vacinação para bancários e carteiros. (Imagem: Eduardo Frazão/Exame)

Tendo em vista o cumprimento das diretrizes do Ministério da Saúde, os governos estaduais e as administrações municipais devem se mobilizar para incluir estes profissionais nos respectivos calendários de vacinação.

As categorias serão imunizadas junto ao público geral sem comorbidades, além dos demais grupos prioritários como as gestantes, puérperas, pessoas com comorbidades e idosos. 

Até o momento, o Ministério da Saúde já distribuiu um montante aproximado de 143 milhões de doses das vacinas contra a Covid-19 aos estados e municípios. Deste total, 106,9 mil já foram devidamente aplicadas.

Cerca de 49,3% da população brasileira com 18 anos ou mais já recebeu a primeira dose da vacina, representando 78,9 milhões de brasileiros, sendo 27,9 milhões com o esquema vacinal completo. 

Recusa no estado de São Paulo

Mesmo diante de tal novidade sobre a inclusão dos bancários e carteiros no calendário de vacinação contra a Covid-19, o Governo do Estado de São Paulo (SP) anunciou que não dará prioridade a estes grupos. 

Embora a atitude do governo paulista pareça negligente, é preciso ressaltar que de acordo com a autoridade dada pelo próprio Ministério da Saúde, os estados e municípios têm autonomia para adequar o calendário de acordo com a realidade de cada localidade. 

Sendo assim, o Estado de São Paulo optou por dar continuidade ao critério da faixa etária no calendário de vacinação contra a Covid-19. Isso porque, o governo paulista pretende cumprir a meta de vacinar toda a população adulta, pelo menos, com a primeira dose da vacina até o dia 15 de setembro. 

Em nota, o Governo de São Paulo fez o seguinte comunicado: “Os trabalhadores dos setores bancário e de correios também podem ser contemplados na campanha conforme cronograma de faixas etárias em andamento ou nas categorias de comorbidades já anunciados pelo Plano Estadual de Imunização (PEI)”.

Na capital paulista, por exemplo, o calendário de vacinação desta semana contemplou a faixa etária de 41 a 38 anos. Veja! 

  • 41 anos: segunda-feira, 5, e terça-feira, 6;
  • 40 anos: quarta-feira, 7;
  • 39 anos: quinta-feira, 8;
  • 38 anos: sexta-feira, 9;
  • Repescagem de 38 a 41 anos e segunda dose para todos os públicos: sábado, 10;

Na próxima segunda-feira, 12, será a vez dos adultos com 37 anos sem comorbidades serem imunizados. Este ritmo de vacinação deve ser mantido para cumprir a meta estipulada em São Paulo.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Edson Aparecido, 60% do grupo elegível à vacinação em SP já foi vacinado. 

Na oportunidade, o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), disse que existe a possibilidade de os jovens na faixa etária de 12 a 17 anos serem imunizados ainda em 2020 de acordo com a disponibilidade de doses e a amplitude da vacinação do público geral. No entanto, seria preciso dar prioridade aos adolescentes com comorbidades.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR, onde pesquisa e produz conteúdo sobre economia, direitos sociais e finanças.