INSS vaza dados de aposentados e pensionistas e vira caso de Justiça

INSS responde na justiça por vazamento de dados de seus segurados. Nas últimas semanas, indicadores econômicos revelaram que os aposentados e pensionistas da previdência social federal estão com um alto índice de endividamento bancário. Parte significativa se deu mediante ao assédio na venda de empréstimos.

publicidade
INSS vaza dados de aposentados e pensionistas e vira caso de Justiça (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)
INSS vaza dados de aposentados e pensionistas e vira caso de Justiça (Imagem: Marcos Rocha/ FDR)

O INSS e a Dataprev vêm respondendo judicialmente pelo vazamento dos dados dos segurados previdenciários. Uma ação civil pública da 17ª Vara da Justiça Federal de Minas Gerais vem questionando a eficiência dos órgãos na hora de garantir a confidencialidade dos contatos da população.

Dados levantados pelo Instituto de Defesa Coletiva revelam que cerca de quatro milhões de aposentados e pensionistas tiveram seus informes expostos na internet.

publicidade

Desse modo, passaram a ser vítimas de assédio frequente de bancos e empresas financeiras ofertando empréstimos e linhas de crédito pelo consignado.

Andamento do processo

Lillian Salgado, presidente do comitê técnico do Instituto de Defesa Coletiva, afirma que o Sistema Nacional de Defesa do Consumidor contabilizou milhares de contratos do crédito consignado no nome dos aposentados e pensionistas.

— Em que pesem as denúncias reiteradas de aposentados e pensionistas, não se tem notícia de que a autarquia tenha suspendido ou cancelado o convênio com qualquer instituição financeira, nos termos do artigo 52, da Instrução Normativa 28/2008, do próprio INSS — denuncia Lillian: — É patente a inércia do órgão, o que gerou um enorme prejuízo à coletividade, ocasionando, assim, o superendividamento de quatro milhões de idosos.

Além de investigar a origem do vazamento de dados, a ação tem como objetivo também obrigar o INSS a determinar um bloqueio nas cobranças dos consignado. O desbloqueio pode ser feito pelo segurado em até 180 dias.

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

— Atualmente, se o consumidor não realizou o bloqueio, a qualquer momento pode ser vítima de fraude. Em muitos casos, ele não tem ciência de que pode realizar o pedido de bloqueio do crédito consignado por tempo indeterminado — afirma Lilian: — O que estamos pedindo à Justiça é inédito. Reivindicamos a aplicação do sistema opt-in, que determina o bloqueio por tempo indeterminado, permanecendo nessa condição até que o segurado solicite, formalmente, a sua liberação para o empréstimo consignado, quando necessitar.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!