Guedes confirma prorrogação do auxílio emergencial com mais 3 parcelas

Representante do governo confirma extensão do auxílio emergencial. Nessa quarta-feira (23), o ministro da economia, Paulo Guedes, afirmou que deverá liberar mais três parcelas do coronavoucher. A medida deverá ainda ser anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro.

Guedes confirma prorrogação do auxílio emergencial com mais 3 parcelas (Imagem. Edu Andrade/Ascom/ME)
Guedes confirma prorrogação do auxílio emergencial com mais 3 parcelas (Imagem. Edu Andrade/Ascom/ME)

Há semanas a imprensa nacional debate se o auxílio emergencial será renovado ou não. Sob rumores de que o governo estaria tentando prolongar a pasta, o ministro da economia, Paulo Guedes, acaba de confirmar a informação.

De acordo com ele, sua equipe analisou o orçamento público para garantir a extensão dos principais programas de contenção dos impactos do novo coronavírus.

Além do auxílio emergencial, Guedes afirmou que o BEm (Programa de manutenção do emprego) deverá ser mantido.

“Renovamos os programas bem sucedidos. Renovamos o BEm (programa de manutenção do emprego), renovamos o auxílio emergencial. Isso vai até agora, 31 de julho. O presidente deve anunciar, talvez ainda nesta semana, mais três meses de auxílio emergencial. Da mesma forma, vamos anunciar o BIP e o BIQ“, declarou Guedes em reunião com industriais.

Validação de Bolsonaro e do STF

Segundo o chefe da equipe econômica, a pasta deverá ainda ser aprovada pelo Supremo Tribunal Federal e pelo Congresso. A previsão é de que o presidente Jair Bolsonaro conceda seu pronunciamento oficial ao longo da próxima semana.

Até o momento ainda não se sabe se haverão alterações nas regras de concessão do auxílio, ou se o governo reduzirá o número de contemplados.

Há ainda um debate solicitando o aumento da mensalidade para R$ 600, mas a expectativa é de que a proposta seja recusada pelos gestores.

Quem pode receber o auxílio emergencial 2021?

Para ter acesso ao benefício é preciso:

  • Ser trabalhador informal; ou
  • Beneficiário do Bolsa Família;
  • Ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300);
  • Ter renda familiar per capita mensal de até meio salário mínimo (R$ 550);
  • Ter recebido o auxílio emergencial no ano passado.

Valores atuais do projeto

  • Pessoa que mora sozinha: R$ 150;
  • Família composta por dois ou mais integrantes: R$ 250;
  • Mãe, chefe de família monoparental: R$ 375.

Para mais informações sobre o auxílio emergencial neste ano, acompanhe nossa página exclusiva do programa.

Gostou do conteúdo? Siga @fdrnoticias no Instagram e FDR.com.br no Facebook para ver as últimas notícias que impactam diretamente no seu bolso e nos seus direitos.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Eduarda Andrade
Maria Eduarda Andrade é mestranda em ciências da linguagem na Universidade Católica de Pernambuco, formada em Jornalismo pela mesma instituição. Enquanto pesquisadora, atua na área de políticas públicas, economia criativa e linguística, com foco na Análise Crítica do Discurso. No mercado de trabalho, passou por veículo impresso, sendo repórter do Diario de Pernambuco, além de assessorar marcas nacionais como Devassa, Heineken, Algar Telecom e o Grupo Pão de Açúcar. Atualmente, dedica-se à redação do portal FDR, onde já acumula anos de experiência e pesquisas sobre economia popular e direitos sociais.