Guedes confirma prorrogação do auxílio emergencial com mais 3 parcelas

Representante do governo confirma extensão do auxílio emergencial. Nessa quarta-feira (23), o ministro da economia, Paulo Guedes, afirmou que deverá liberar mais três parcelas do coronavoucher. A medida deverá ainda ser anunciada pelo presidente Jair Bolsonaro.

publicidade
Guedes confirma prorrogação do auxílio emergencial com mais 3 parcelas (Imagem. Edu Andrade/Ascom/ME)
Guedes confirma prorrogação do auxílio emergencial com mais 3 parcelas (Imagem. Edu Andrade/Ascom/ME)

Há semanas a imprensa nacional debate se o auxílio emergencial será renovado ou não. Sob rumores de que o governo estaria tentando prolongar a pasta, o ministro da economia, Paulo Guedes, acaba de confirmar a informação.

De acordo com ele, sua equipe analisou o orçamento público para garantir a extensão dos principais programas de contenção dos impactos do novo coronavírus.

publicidade

Além do auxílio emergencial, Guedes afirmou que o BEm (Programa de manutenção do emprego) deverá ser mantido.

“Renovamos os programas bem sucedidos. Renovamos o BEm (programa de manutenção do emprego), renovamos o auxílio emergencial. Isso vai até agora, 31 de julho. O presidente deve anunciar, talvez ainda nesta semana, mais três meses de auxílio emergencial. Da mesma forma, vamos anunciar o BIP e o BIQ“, declarou Guedes em reunião com industriais.

Validação de Bolsonaro e do STF

Segundo o chefe da equipe econômica, a pasta deverá ainda ser aprovada pelo Supremo Tribunal Federal e pelo Congresso. A previsão é de que o presidente Jair Bolsonaro conceda seu pronunciamento oficial ao longo da próxima semana.

Até o momento ainda não se sabe se haverão alterações nas regras de concessão do auxílio, ou se o governo reduzirá o número de contemplados.

Há ainda um debate solicitando o aumento da mensalidade para R$ 600, mas a expectativa é de que a proposta seja recusada pelos gestores.

Quem pode receber o auxílio emergencial 2021?

Para ter acesso ao benefício é preciso:

Clique aqui e aperte o botão "Seguir" para você ser o primeiro a receber as últimas informações sobre este assunto no seu celular!

publicidade
  • Ser trabalhador informal; ou
  • Beneficiário do Bolsa Família;
  • Ter renda familiar mensal de até três salários mínimos (R$ 3.300);
  • Ter renda familiar per capita mensal de até meio salário mínimo (R$ 550);
  • Ter recebido o auxílio emergencial no ano passado.

Valores atuais do projeto

  • Pessoa que mora sozinha: R$ 150;
  • Família composta por dois ou mais integrantes: R$ 250;
  • Mãe, chefe de família monoparental: R$ 375.

Para mais informações sobre o auxílio emergencial neste ano, acompanhe nossa página exclusiva do programa.

publicidade

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!