O que explica alta no valor da gasolina e do diesel? Entenda de uma vez!

Nas últimas semanas, o preço da gasolina e do diesel apresentaram alta nas bombas. Por conta da desvalorização do dólar em relação ao real, muitos esperavam que houvesse redução. Contudo, não tem acontecido o resultado esperado. Entenda o que explica alta no valor da gasolina e do diesel.

O que explica alta no valor da gasolina e do diesel? Entenda de uma vez!
O que explica alta no valor da gasolina e do diesel? Entenda de uma vez! (Imagem: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Ao considerar o período de 4 de janeiro e 14 de junho, o dólar registrou perda de 3,74% em comparação ao real, de acordo com o UOL. Por conta da relação da moeda estrangeira com a cotação do petróleo e derivados, os combustíveis têm apresentado alta.

A Agência Nacional de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP) indicou que o litro da gasolina nas bombas chegou a R$ 5,676 na semana passada. Este valor representa uma alta de 28,24% desde a semana de 11 a 17 de abril.

Já o diesel estava a R$ 4,196 na semana anterior. Houve uma alta de 7,05% desde a semana de 25 de abril a 1º de maio.

O que explica alta no valor da gasolina e do diesel

O preço dos combustíveis é composto pela remuneração da Petrobras, tributos federais e estatuais, adição de etanol (gasolina) ou biodiesel (diesel) e distribuição e revenda.

Segundo especialistas ouvidos pelo UOL, diversos fatores da cadeia de produção dos combustíveis impactam nos preços a serem pagos pelos motoristas.

A pesquisadora do Instituto de Estudos Estratégicos de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (Ineep), Carla Ferreira, alega que além da cotação internacional do petróleo, há a inclusão no preço final custos com frete, distribuição do produto e margem de lucro para remunerar a operação.

O valor do barril do petróleo tem registrado alta no exterior. Isto acontece pela alta demanda. Pelo fato de que o Brasil importa combustíveis, a cotação tende a passar nos preços internos.

Apesar do aumento no preço do petróleo no exterior, a Petrobras não tem feito reajustes recorrentes na política de Preço de Paridade Internacional. Até o último anúncio, na sexta-feira (11), não houve alterações por 40 dias.

Os especialistas apontam outros custos que afetam o preço final, como impostos estaduais, federais e logística. A explicação para o contexto atual pode ser a fase da revenda. O preço na bomba também tem sido impactado pelos reajustes da adição de biocombustíveis, segundo apurado pelo UOL.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Possui experiência em produção textual e, atualmente, dedica-se à redação do FDR produzindo conteúdo sobre economia.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA