Profissionais de educação em SP recebem 1ª dose da vacina nesta sexta (11)

A partir de amanhã, sexta-feira, 11, os profissionais da educação do Estado de São Paulo (SP) poderão receber a vacina contra a Covid-19. A imunização se tornou possível após os chefes do governo estadual decidirem ampliar a vacinação, possibilitando que cerca de 363 mil trabalhadores da área sejam vacinados. 

Profissionais de educação em SP recebem 1ª dose da vacina nesta sexta (11)
Profissionais de educação em SP recebem 1ª dose da vacina nesta sexta (11). (Imagem: Correio Brasiliense)

A princípio, os profissionais da educação que compõem a faixa etária de 18 a 44 anos de idade deveriam ser vacinados até o final do mês de julho. Mas, com a antecipação do calendário, os profissionais que atuam na: educação básica nas esferas federal, estadual e municipal, tanto da rede de ensino pública quanto privada, poderão receber a primeira dose da vacina amanhã.

A ação é vista como um ato memorável pelo secretário estadual da Educação de SP, Rossieli Soares. Isso porque, até então, apenas os profissionais com 47 anos de idade podiam ser imunizados.

No decorrer desta semana, mais 80 mil profissionais na faixa etária de 45 a 46 anos também foram incluídos na campanha de vacinação do Estado. 

O anúncio oficial sobre a ampliação do calendário de vacinação em São Paulo foi feito na última segunda-feira, 7, pelo governador João Doria.

Na oportunidade ele assegurou que: “Nós teremos 100% dos profissionais da educação básica imunizados em São Paulo, isso garante uma volta às aulas presenciais cada vez mais segura”. 

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
Novo Cartão de crédito queridinho do Brasil, sem anuidade e que você pode solicitar agora 34.787 pessoas já solicitaram

O retorno às aulas presenciais em todo o Estado de São Paulo está previsto para acontecer no segundo semestre de 2021. Os protocolos de segurança sanitária atuais, permitem que a capacidade de apenas 35% dos alunos matriculados em sala de aula. 

Isso quer dizer que com a volta efetiva, será preciso elaborar um sistema de rodízio, seja por dia ou horário, visando contemplar todos os estudantes de cada instituição de ensino.

No entanto, o secretário estadual de Educação, Rossieli, pretende alterar o limite de capacidade. A intenção é readequar o percentual de acordo com as limitações estruturais de cada estabelecimento. 

Ele ainda explicou que, por enquanto, não é um momento oportuno para tornar esta mudança vigente. Isso porque, uma alteração no fim de um bimestre e próximo ao recesso de julho apenas causaria mais confusão e desorganização nas escolas. 

“Nosso entendimento é: de que forma sustentável nós podemos dar um grande passo para a volta às aulas? Acho que essa é a discussão que conduziu a vacinação dos professores desde abril. Hoje mais um passo importante, e, por isso, a educação continua sendo prioridade”, reforçou o secretário. 

Vale ressaltar que embora o Estado de SP tenha readequado o calendário de vacinação de acordo com as circunstâncias locais, é preciso respeitar as principais deliberações implementadas pelo Ministério da Saúde.

Lembrando que também podem receber a vacina os trabalhadores que atuam na faxina, portaria e manutenção das escolas de todo o país. Porém, no geral, é preciso seguir esta ordem:

  • Creches;
  • Pré-escolas;
  • Ensino fundamental;
  • Ensino médio;
  • Ensino profissionalizante;
  • Educação de jovens e adultos (EJA);
  • Ensino superior (grupo prioritário nº 19).

Em cada um dos subgrupos apresentados acima, prevalece o critério original da idade. Ou seja, os primeiros a serem imunizados são os mais velhos, seguidos dos profissionais com menor idade até que todos recebam a primeira dose da vacina

Laura Alvarenga
Laura Alvarenga é graduada em Jornalismo pelo Centro Universitário do Triângulo em Uberlândia - MG. Iniciou a carreira na área de assessoria de comunicação, passou alguns anos trabalhando em pequenos jornais impressos locais e agora se empenha na carreira do jornalismo online através do portal FDR.