Vacinação de gestantes sem comorbidades começa nesta segunda (7) em SP

As gestantes que residem no município de São Paulo e que não possuem comorbidades começaram a receber a 1ª dose da vacina da Covid-19. A vacinação de gestantes sem comorbidades começará hoje (7).

Vacinação de gestantes sem comorbidades começa nesta segunda (7) em SP
Vacinação de gestantes sem comorbidades começa nesta segunda (7) em SP (Imagem: Reprodução/Gazeta do Povo)

Atualmente a capital do Estado de São Paulo está vacinando as pessoas a partir dos 30 anos que possuem comorbidades ou deficiência permanente. Esse último precisa ser beneficiário do BPC (Benefício de Prestação Continuada).

A partir desta segunda-feira (7), o município amplia o Plano Municipal de Imunização e inclui a vacinação de gestantes sem comorbidades a partir dos 18 anos. As mulheres grávidas e puérperas com comorbidade já receberam a 1ª dose da vacina contra a Covid-19.

A lista de comorbidades consideradas prioritárias foi definida pelo Plano Nacional de Imunização (PNI). Sendo assim, para garantir a dose, as gestantes e puérperas precisaram comprovar serem portadoras de um dessas doenças:

  • Anemia falciforme;
  • Arritmias cardíacas: fibrilação e flutter atriais; e outras;
  • Cardiopatias congênita no adulto: crises hipoxêmicas, insuficiência cardíaca, arritmias e comprometimento miocárdico;
  • Cirrose hepática;
  • Cor-pulmonale;
  • Diabetes mellitus;
  • Dispositivos cardíacos implantados: marca-passos, cardio desfibriladores, ressincronizadores, assistência circulatória de média e longa permanência;
  • Doença cerebrovascular: acidente vascular cerebral isquêmico ou hemorrágico, ataque isquêmico transitório ou demência vascular;
  • Doença renal crônica;
  • Doenças da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas: aneurismas, dissecções, hematomas da aorta e demais grandes vasos;
  • Hipertensão Arterial;
  • Hipertensão pulmonar;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Miocardiopatias;
  • Obesidade mórbida;
  • Pericardiopatias;
  • Pneumopatias crônicas graves: doença pulmonar obstrutiva crônica, fibrose cística, fibroses pulmonares, pneumoconioses, displasia broncopulmonar e asma grave;
  • Próteses valvares: biológicas ou mecânicas;
  • Síndrome de Down;
  • Síndromes coronarianas: Angina Pectoris estável, cardiopatia isquêmica, pós Infarto Agudo do Miocárdio, entre outras;
  • Valvopatias: estenose ou insuficiência aórtica, estenose ou insuficiência mitral, estenose ou insuficiência pulmonar, estenose ou insuficiência tricúspide, e outras.

Houve paralisação na aplicação do imunizante nesse grupo, após a investigação de reações mais severas. Porém, nesta segunda-feira (7), a vacinação de gestantes sem comorbidades ou que tenham uma das doenças definidas pelo PNI irá acontecer.

O município irá utilizar as vacinas da CoronaVac e PfizerMesmo assim, as gestantes terão que apresentar um atestado médico aprovando a aplicação da vacina da COVID.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE
OPORTUNIDADE
imagem do cartão
Novo Cartão de crédito queridinho do Brasil, sem anuidade e que você pode solicitar agora 34.787 pessoas já solicitaram

A investigação de possíveis complicações estava sendo feita com o imunizante AstraZeneca e, portanto, não há recomendação para ser usado.

Glaúcia Alves
Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, além de realizar consultoria de redação on-line.