Conheça três opções de criptomoedas diferentes do bitcoin e veja onde investir

Recentemente, diversos investidores decidiram apostar em criptomoedas. Além do bitcoin, outras moedas digitais tem sido amplamente investidas. Desde maio de 2019, as criptomoedas, como um todo, tiveram crescimento de 1062,8%, segundo a plataforma Coinmarketcap.

Conheça três opções de criptomoedas diferentes do bitcoin e veja onde investir
Conheça três opções de criptomoedas diferentes do bitcoin e veja onde investir (Imagem: Pierre Borthiry/Unsplash)

Atualmente, existem 9.742 criptomoedas, de acordo com a Coinmarketcap. O bitcoin permanece como a principal moeda digital. No entanto, os investidores ainda podem encontrar outras criptomoedas em destaque no mercado financeiro. Conheça três destas opções.

Três opções de criptomoedas diferentes do bitcoin

O Ethereum é uma plataforma descentralizada, focada na execução de contratos inteligentes — operações feitas automaticamente quando certas condições são cumpridas.

Conforme informa o InfoMoney, ela é utilizada nas operações de sua própria moeda, o Ether, e de outros ativos que usam este sistema.

Este ativo foi criado para recompensar os desenvolvedores que utilizam a plataforma Ethereum para projetos. O protocolo Ethereum se utiliza do blockhain para validar transações.

O Tether é uma stablecoin, uma criptomoeda com lastro em uma moeda física. Ela foi lançada com a proposta de paridade com o dólar dos Estados Unidos. A proposta é de que para Tether emitido, haverá um dólar equivalente em caixa.

A Binance Coin (BNB) é uma criptomoeda lançada para uso dentro de uma Exchange. Ela foi lançada pela Binance, uma das principais exchanges do mundo. A Binance Coin possibilita que os usuários tenham descontos em taxas relacionadas à plataforma.

Maneiras de investir em criptomoedas

Há pelo menos cinco formas de investir em criptomoedas, segundo informações do CNN Brasil Business: corretora convencional, exchanges descentralizadas, fundo de investimento, bolsa de valores e p2p (peer-to-peer).

Por meio da corretora, o investidor conta com um grande portfólio de ativos. A pessoa ainda pode escolher manualmente o tamanho do aporte. Neste caso, o uso pode ser feito por meio de um celular, no aplicativo da exchange.

As exchanges descentralizadas são os sistemas autônomos que utilizam contratos inteligentes para intermediar negociações entre indivíduos.

Com os fundos de investimentos, é possível variar o aporte sem a necessidade de conhecer profundamente os ativos. Ao adquirir uma cota, o aplicador delega a decisão para um índice pré-estabelecido ou a um gestor — no caso dos fundos ativos.

Outra opção é pela bolsa de valores — fundo de índice (ETF). Em abril, a B3 listou o primeiro ETF de criptomoedas da América Latina, o HASH11. Este produto compartilha alguns dos mesmos diferenciais dos fundos de investimentos, como a segurança na custódia e diversificação via índice.

Já a modalidade peer-to-peer (p2p) se refere à negociação direta entre duas pessoas. Diante desta e outras possibilidades, o investidor deve estar atento aos possíveis riscos das modalidades e, também, do mercado de criptomoedas, que possui volatilidade.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Silvio Souza
Silvio Suehiro Souza é formado em Comunicação Social - Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC). Desde 2019 dedica-se à redação do portal FDR, onde tem acumulado experiência e vasto conhecimento na área ligada a economia, finanças e investimentos. Além disso, Silvio produz análises sobre produtos e serviços financeiros, sempre prezando pela imparcialidade e informações confiáveis.