Vacinação suspensa! Em São Paulo, grávidas deixam de receber imunizante

O Estado de São Paulo suspendeu a vacinação para grávidas com o imunizante AstraZeneca. A decisão foi tomada após as recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Esse grupo iria receber a primeira dose na última terça-feira (11).

Vacinação suspensa! Em São Paulo, grávidas deixam de receber imunizante
Vacinação suspensa! Em São Paulo, grávidas deixam de receber imunizante (Imagem: Reprodução/CNN Brasil)

O Estado não foi o único a suspender a vacinação de grávidas, após o anúncio feito pela Anvisa na última segunda-feira (10). A indicação é que os Estados e municípios sigam as orientações da bula da vacina AstraZeneca, que não indica uso nesse grupo.

A decisão da Anvisa veio após eventos adversos constantes terem sido identificados. O órgão está investigando a morte de uma mulher grávida no Rio de Janeiro após uso do imunizante. Dessa maneira, só será aplicada a vacina AstraZeneca nos casos recomendados na bula.

Em nota, a AstraZeneca afirmou que as mulheres grávidas não foram incluídas nos testes clínicos. Porém, afirmou que os estudos em animais não indicaram efeitos prejudiciais ao desenvolvimento fetal.

Porém, o secretário municipal de Saúde de São Paulo, Edson Aparecido, afirmou que a vacinação em grávidas com comorbidades continuará suspensa. Dessa maneira, está sendo esperado o posicionamento do Ministério da Saúde.

Aparecido declarou que só recebeu vacinas da AstraZeneca para vacinar gestantes com comorbidades. As vacinas da CoronaVac estão separadas para a aplicação da segunda dose.

Além disso, as doses da Pfizer só serão enviadas ao município na próxima semana. Dessa maneira, a capital manterá a suspensão da vacinação até que seja permitido o retorno.

O secretário estadual de Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, também afirmou que a suspensão da vacinação para gestantes continuará até que a Anvisa se posicione. Dessa maneira, o melhor é aguardar novas doses.

Segundo Gorinchteyn o quantitativo que há de vacinas do Butantan não atende todas as mulheres grávidas do Estado. A vacina da Pfizer também tem dificuldades com a necessidade de manter em baixa temperatura.

Por esse motivo, a logística de entrega e de estocagem dificulta o processo. Segundo a secretaria estadual de saúde a vacinação para as mulheres grávidas com comorbidades está totalmente suspensa, mas não especifica o imunizante.

Cinco estados não foram afetados pelo alerta da Anvisa. Isso porque, a imunização estava sendo realizada, exclusivamente, com a vacina da Pfizer. Foram eles: Alagoas, Amazonas, Amapá, Ceará e Rondônia.

MAIS LIDAS

×

Deixe as notícias mais recentes encontrarem você

Você pode ficar a par das melhores notícias financeiras e atualizado dos seus direitos com apenas uma coisa: o seu email!

Glaucia Alves
Gláucia Alves, formada em Letras-Inglês pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE). Foi professora por 8 anos. Em 2020 começou a trabalhar como corretora de redação. Atualmente, trabalha na equipe do portal FDR, produzindo conteúdo sobre economia e direitos da população brasileira, além de realizar consultoria de redação on-line.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA