Fase de transição em SP recebeu reajuste no dia 1º de maio; o que muda?

Na última quarta-feira (27), o governo de São Paulo anunciou a prorrogação da fase de transição do Plano São Paulo. As mudanças começaram ontem (1º) e vão até 9 de maio, em todo o estado. O horário do comércio e do setor de serviços foi ampliado para permitir o funcionamento das 6h às 20h.

Fase de transição em SP recebe reajuste a partir do dia 1º de maio; o que muda?
Fase de transição em SP recebeu reajuste no dia 1º de maio; o que muda? (Imagem: Sergio Andrade/Governo do Estado de São Paulo/Agência Brasil)

Até sexta-feira (30), continuaram em vigor as regras estabelecidas anteriormente, de funcionamento das 11h às 19h, com horário limite de funcionamento de oito horas para alguns setores. 

O limite de ocupação dos estabelecimentos, de 25% da capacidade, continua o mesmo, assim como a vigência do toque de recolher entre 20h e 5h. As medidas tomadas têm como objetivo diminuir a circulação de pessoas à noite.

Antes, os estabelecimentos poderiam abrir no máximo, durante oito horas por dia. Algumas academias decidiram abrir por quatro horas durante a manhã e mais quatro no fim do dia. 

Agora, após essa mudança na fase de transição, não há limite de horas para o funcionamento, desde que seja respeitado o intervalo das 6h às 20h.

Os parques estaduais e municipais também permanecerão com o horário de funcionamento já vigente, das 6h às 18h

Segue mantida a recomendação do teletrabalho sempre que possível e o escalonamento do horário de entrada e saída para o comércio, serviços e indústria.

“No pico da segunda onda, nós tínhamos, no estado, 500 casos novos a cada 14 dias por 100 mil habitantes. Na média, algumas regiões chegaram a apresentar mais de 800 casos novos por 100.000 habitantes em duas semanas. Esse número, hoje, está em 423, uma redução de cerca de 35% ao longo desse período.”, disse Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência.

Essa etapa da fase de transição é parecida com a fase laranja, que deveria ser adotada quando a ocupação de leitos de UTI fosse inferior a 80%, segundo as regras iniciais do Plano São Paulo,que foi lançado no ano passado.

O que muda entre a fase de transição e fase laranja?

  • A fase de transição tem ocupação máxima menor (25%) do que a laranja (40%);
  • A fase de transição não tem limite de oito horas de funcionamento entre 6h e 20h como a fase laranja;
  • A fase laranja não tem toque de recolher nem sugestão de escalonamento do transporte de funcionários.

Você gostou deste conteúdo? AVALIE:

Avaliação média: 0
Total de Votos: 0

Fase de transição em SP recebeu reajuste no dia 1º de maio; o que muda?

Jheniffer Freitas
Jheniffer Aparecida Corrêa Freitas é formada em Jornalismo pela Universidade de Mogi das Cruzes. Atuou como assessora de imprensa da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo e da Secretarial Estadual da Saúde de São Paulo. Atualmente, é redatora do portal FDR, produzindo pautas sobre economia popular e finanças.
×

Este cartão de crédito sem anuidade está selecionando pessoas para receber possível limite agora!

VER AGORA